3º LirAa: infestação do Aedes aegytpi cai para 0,5%

O Ministério da Saúde preconiza como aceitável até 1%

O Setor de Controle de Endemias da Secretaria de Saúde de Cascavel divulgou ontem (11) o resultado do 3º ciclo do LirAa. O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti realizado esta semana aponta 0,5% de infestação em Cascavel, considerado de baixo risco para epidemia. O Ministério da Saúde preconiza como aceitável até 1%.

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Beatriz Tambosi, a redução dos índices de infestação está relacionada às ações desenvolvidas pelo Mutirão de Limpeza realizado na cidade, iniciado em abril e em andamento na segunda fase com inspeções em imóveis fechados ou abandonados e de acumuladores.

“Além da intensificação das vistorias em horários alternativos pelos agentes de combate às endemias, foram realizadas atividades educativas nas escolas públicas e privadas, e em entidades, pela Equipe de Educação em Saúde, e trabalhado a conscientização da população em relação à importância dos cuidados no controle do vetor Aedes aegypti“, detalha Beatriz.

Vistoria

Nesse terceiro ciclo foram coletadas 23 amostras de larvas positivas para Aedes aegypti num universo de 4.350 imóveis inspecionados, que foram divididos em dez estratos, totalizando 117 localidades cadastradas no Setor. O número de imóveis inspecionados é determinado em função da densidade populacional.

O estrato 8 – que abrange as regiões de Pioneiros Catarinenses, Acácia, Neva, Vila Tolentino, Parque São Paulo, Parque Tarqüínio, Maria Luiza e Itamarati – apresentou o maior índice de infestação, com 1,2%, considerado de médio risco. Diante disso, nas próximas semanas o Setor de Controle de Endemias intensificará as inspeções neste estrato.

Até o dia 24 de junho, o Município já havia confirmado 1.133 casos de dengue, com 3.206 notificações e 825 que ainda aguardavam resultado ou coleta de exame. Três pessoas morreram em decorrência da doença.

 



Fale com a Redação

dezenove − três =