Trânsito violento: Siate pede ajuda ao Samu

O Siate precisou pedir o auxílio do Samu por falta de ambulâncias, já que todas estavam em atendimento.   Leia Mais

A quarta-feira foi de muitos acidentes de trânsito em Cascavel. Durante o dia foram registradas 11 colisões, a maioria à tarde, e sobrecarregou o sistema de atendimento. O Siate precisou pedir o auxílio do Samu por falta de ambulâncias, já que todas estavam em atendimento.

Um dos casos mais graves foi uma colisão registrada na BR-277 perto do viaduto da Rua Carlos Gomes. A batida envolveu um caminhão e um veículo utilitário carregado de botijões de gás e garrafas de água. O motorista do utilitário chegou a ficar inconsciente.

Os médicos do Siate e do Samu prestaram os primeiros atendimentos à vítima, que não teve o nome divulgado, e foi encaminhada ao hospital pela ambulância da Ecocataratas. O caminhão ficou atravessado na pista e o trânsito ficou prejudicado.

Outra colisão grave foi registrada na Avenida Barão do Rio Branco, esquina com a Rua Acre, no Bairro São Cristóvão, entre uma caminhonete com placas de Palotina e um Fiat Uno com placas de Cascavel. Com o impacto, o semáforo do cruzamento foi arrancado e a motorista do Fiat Uno ficou encarcerada. O Corpo de Bombeiros precisou utilizar o desencarcerador para remover a vítima do veículo.

A condutora Silvia Márcia Evangelista teve ferimentos graves e foi encaminhada ao HU (Hospital Universitário) de Cascavel. Já o motorista da caminhonete, Jair Berticeli, 64 anos, teve ferimentos moderados e foi levado ao Hospital São Lucas. A passageira da caminhonete também foi encaminhada ao hospital, mas não teve o nome divulgado.

A motorista do Fiat Uno ficou encarcerada e teve ferimentos graves- Foto: Fábio Donegá

Ciclista morre

Um homem de cerca de 50 anos morreu ao cair de uma bicicleta na Rua Serra da Borborema, no Bairro Periollo, no fim da tarde de ontem (9) em Cascavel.

Testemunhas disseram que ele vinha em alta velocidade, não viu a lombada e, por conta do impacto, foi arremessado a alguns metros de distãncia. Quando os socorristas do Siate chegaram ao local, o homem sofreu uma parada cardíaca. O médico realizou procedimentos para reanimar a vítima, que não resistiu e morreu dentro da ambulância.

O homem não portava documentos e até o fechamento da edição não havia sido identificado.



Fale com a Redação

um × um =