A Polícia Federal de Cascavel providenciou, neste feriado, a transferência de um preso que é considerado um dos líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital) na região. Ele estava na Penitenciária Estadual de Londrina e, de lá, por celular, dava ordens para outros membros da facção criminosa.

Luan Lino de Andrade, vulgo “Pirlo”, membro de uma grande organização criminosa era principal alvo da Operação Dictum, deflagrada no início deste mês visando a impedir o estabelecimento, na região de fronteira com o Paraguai, de uma célula de uma facção criminosa de atuação nacional.

Ele foi flagrado em interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça, fazendo uso de telefones celulares por meio dos quais, mantinha frequentes contatos com demais membros da facção ou com candidatos a integrarem a organização criminosa, que eram então instruídos sobre procedimentos esperados e sobre os pagamentos então devidos.

Em parte da mesma operação, na semana passada, a PF prendeu um casal, que também tinha envolvimento com o crime. Segundo a polícia, a intenção da facção é fortalecer o “trabalho” em todas as regiões do Estado, e por isso o PCC quer a transferência de presos lotados em Curitiba para outras regiões, para fazer esse enraizamento.