Comprar medicamentos e outros produtos disponíveis em farmácias sem sair de casa. Essa é a principal vantagem que o e-commerce relacionado às farmácias trouxe, inclusive, durante o período de pandemia. Com a necessidade de a população de ficar em casa para não disseminar o novo coronavírus, o delivery apareceu como ação estratégica e, consequentemente, culminou no aumento da comercialização online.

Segundo dados da Abrafarma (Associação Brasileira de Farmácias e Drogarias), no acumulado de janeiro a setembro de 2021, o mercado farmacêutico teve crescimento de 17,39% em relação ao mesmo período de 2020 – o maior crescimento em uma década.

Para isso, o setor precisou se adaptar e algumas ferramentas disponibilizadas facilitaram o acesso da população a produtos e a medicamentos de forma virtual. É o caso do site farmaciasdelivery.com.br, desenvolvida pela startup MyPharma, especialista em e-commerces do ramo farmacêutico. A ferramenta possibilita a pesquisa de remédios e de outros itens em farmácias cadastradas e mostra, além dos valores, a disponibilidade do produto pesquisado nas lojas mais próximas ao usuário que está fazendo a pesquisa. Com poucos cliques, a população tem acesso fácil e rápido aos produtos, com entrega em casa. Basta acessar o site e digitar no campo de busca, o remédio ou outro item desejado.

“A principal vantagem desse site é a possibilidade de o usuário final ter acesso rápido e fácil ao que ele precisa no ramo farmacêutico, com registro de preços e locais mais próximos de casa. Ele busca o produto disponível na farmácia mais próxima da rua, do bairro ou da cidade em que mora. E, se não houver disponibilidade em farmácias da mesma cidade, ele ranqueia a possibilidade deste produto em farmácias de outros estados, mas que entregam na cidade do usuário que está fazendo a pesquisa”, explica o diretor de marketing da startup MyPharma, Carlos Henrique Soccol.

Já para as farmácias, a principal vantagem de estar online é ter maior possibilidade de venda ao usuário final. O Brasil está entre os dez países que mais consomem medicamentos no mundo de acordo com o Conselho Federal de Farmácia e o acesso por meio da internet facilita a aquisição de remédios e, também, de outros produtos disponibilizados em farmácias e drogarias, sem sair de casa.

“É uma tendência que já estava no radar e que se adiantou por conta da pandemia. Ao perceber a facilidade, acreditamos que as pessoas devem continuar consumindo, muito mais, de forma online, no período pós-pandêmico, pela facilidade que essa mudança de cenário trouxe à população”, finaliza Carlos.

(assessoria)