Sem provas, acusado de homicídio é absolvido

Na época, Marcelo chegou a confessar e disse que a vítima teria tentado “acariciá-lo” e que por isso teria cometido o crime

Marcelo Henrique Oliveira Bonfim foi absolvido em julgamento realizado ontem no Fórum Estadual de Cascavel. Ele era acusado de matar José Manoel Irmão, de 75 anos. O crime aconteceu no dia 3 de julho de 2014, no Bairro Parque São Paulo, em Cascavel. José Manoel foi morto com facadas, pauladas na cabeça e teve o pênis amputado e um pedaço de ferro inserido no ânus. O corpo foi encontrado por populares na obra do Módulo da Polícia Militar no bairro. Na época, Marcelo chegou a confessar e disse que a vítima teria tentado “acariciá-lo” e que por isso teria cometido o crime.

Marcelo já havia sido julgado pelo crime em 2017 e condenado. Mas a defesa recorreu e o Tribunal de Justiça anulou a condenação sob o argumento de que confissão na delegacia, sozinha, sem outra prova, não é apta para gerar condenação. O réu foi julgado novamente ontem e o próprio Ministério Público pediu a absolvição por falta de provas.

A qualificadora do homicídio era o motivo fútil, agravado pelo meio cruel com que foi cometido, o que, de acordo com o Ministério Público, causou sofrimento atroz e desnecessário à vítima. Além disso, a vítima não teve chance de defesa.

Marcelo já cumpriu pena por tráfico de drogas e fazia poucos meses que estava em liberdade quando o crime aconteceu.

 



Fale com a Redação

dois × 2 =