Sem atendimento, mulher morre na recepção da UPA

Uma mulher de 36 anos morreu ontem na recepção da UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) do Veneza. Ela aguardou por atendimento por mais de seis horas e, mesmo passando muito mal, não foi socorrida. Até que ela desmaiou, caiu no chão e, ali mesmo, morreu.

Segundo familiares, Marem Lidiane Biavati havia ido à UPA domingo (16), reclamando de muito mal-estar. Ela tomou soro, mas não foram feitos exames. Após duas horas, foi liberada para ir para casa.

Ainda conforme relato de familiares, ontem ela voltou a passar mal e ainda pela manhã procurou a UPA. Ela chegou por volta das 9h30. Marem reclamava de muitas dores no peito, chegou a passar pela pré-consulta, mas até o meio da tarde ainda não havia sido atendida pelo médico.

Quando seu estado se agravou, a mãe da vítima acionou a assistente social, as atendentes, tentou falar com médico e enfermeiro, mas a informação que lhe deram era de que não poderiam atendê-la porque o sistema estaria fora do ar.

O drama continuou por cerca de meia hora, até que Marem caísse na recepção.

Ao saber que a mãe havia morrido, uma das filhas, de 15 anos, desmaiou na recepção da UPA e também não foi atendida.

Nota da Saúde

Em nota no início da noite, a Secretaria Municipal de Saúde informou que a paciente chegou à UPA Veneza e foi atendida pela equipe de enfermagem na pré-consulta por volta das 10h20 e, mediante os sintomas apresentados e relatados, ela foi classificada como “Verde”. “Enquanto aguardava, o quadro evoluiu para uma parada cardiorrespiratória, sendo prontamente atendida pela equipe médica. Todos os esforços foram realizados a fim de reverter o quadro, porém, a mesma não resistiu, sendo registrado o óbito às 15h50.”

Diz a nota ainda que a causa da morte é desconhecida e que o corpo foi encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbitos, no Hospital Universitário. A secretaria disse que instituiu sindicância para apurar as condições relacionadas ao atendimento da paciente.



Fale com a Redação