Cascavel – Juliano Machado, de 27 anos, foi morto a tiros no Bairro Presidente na tarde dessa sexta-feira (21), em Cascavel. Segundo testemunhas do crime, Juliano deixava um supermercado quando dois homens chegaram em uma moto, um deles armado. Ao perceber os dois, Juliano tentou fugir de carro, mas bateu em outro carro ao dar a ré. Nesse momento ele foi atingido no braço. Mesmo assim, desceu do carro e entrou em uma residência. O atirador perseguiu a vítima até um quarto nos fundos da casa e executou o rapaz. As testemunhas disseram que o assassino ainda disse: “Chegou a tua hora, vagabundo”.

Juliano foi atingido por mais três disparos no pescoço. O médico do Siate chegou a ser acionado, mas apenas constatou o óbito.

Mãe da vítima, Nerci Machado esteve no local e ficou bastante abalada ao saber da morte do filho. Ela precisou ser amparada. Enquanto a polícia tentava afastá-la da cena do crime, ela dizia aos prantos: “Eu quero morrer junto com meu filho, minha vida não tem mais sentido”.

Juliano Machado completaria 28 anos dia 1º de janeiro.

A reportagem do Jornal O Paraná conversou vizinhos, que relataram que a mãe de Juliano é muito querida no bairro e que a família nunca teve problemas nas proximidades.

A polícia informou que Juliano Machado tinha antecedentes criminais. Juliano morava no Bairro XIV de Novembro.

Informações extraoficiais dão conta de que o homicídio teria sido motivado por uma briga antiga entre ele e o atirador.

Segundo a Polícia Militar, os bandidos esqueceram um telefone celular no local do crime e ainda caíram da moto no momento da fuga. A motocicleta foi abandonada cerca de 500 metros do local onde Juliano foi executado.

A polícia realizou diligências pelas proximidades e, além das provas colhidas no local do homicídio, conta com imagens de câmeras de segurança que flagraram o momento do crime e vão ajudar a identificar os assassinos.