Quase metade dos internautas brasileiros foi vítima de fraudes financeiras em um período de um ano

No total, os internautas acumularam um prejuízo de cerca de R$ 1,8 bilhão

Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que 46% dos internautas brasileiros foram vítimas de algum tipo de golpe financeiro nos 12 meses anteriores ao estudo. Isso corresponde a 12,1 milhões de pessoas. Entre elas, 51% disseram ter sofrido prejuízo financeiro, com valor médio de R$ 478.

Com esse valor em mente, o levantamento chegou a um número estarrecedor de perdas durante o período. No total, os internautas acumularam um prejuízo de cerca de R$ 1,8 bilhão. Perda de documentos pessoais (24%), roubo, assalto ou furto (21%), perda de cartão de débito ou crédito (18%) e fornecimento acidental de dados pessoais para terceiros (13%) por telefone, e-mail, WhatsApp ou sites, foram os principais fatos que antecederam as fraudes financeiras.

A pesquisa ainda mostra que boa parte das fraudes ocorreu na própria internet: 40% cadastraram informações em sites falsos de promoções, 39% se inscreveram para supostas vagas de emprego, 22% realizaram compras em sites falsos sem perceber e 18% receberam falsos e-mails de bancos ou empresas pedindo atualização de dados cadastrais ou bancários. Além disso, 21% receberam contatos telefônicos de pessoas se passando por funcionários de instituições financeiras e 18% receberam notificações falsas para quitar dívidas.

Fraudes mais comuns

De acordo com pesquisa feita pela empresa de segurança digital CyberSource, a fraude financeira mais comum em lojas virtuais na América Latina é a fraude de controle de conta, na qual o criminoso tem acesso não só ao cartão de crédito, como também à conta da vítima. A segunda mais comum é chamada de afiliada e acontece quando os fraudadores induzem o estabelecimento comercial a pagar comissões inexistentes.

No top 5, ainda estão as botnets, quando os criminosos assumem o controle de uma rede privada de computadores para roubar dados, enviar spam e permitir que criminosos acessem dispositivos; testes de cartão, para saber se eles foram bloqueados ou se os limites já foram atingidos; e fraude “limpa”, quando os fraudadores utilizam as informações dos cartões de crédito das vítimas sem levantar suspeitas.

As fraudes financeiras são um dos principais problemas de lojas virtuais, já que o prejuízo com essa operação pode até mesmo falir o negócio em determinadas situações. Quando o cliente percebe uma fraude no cartão de crédito, pode entrar em contato com a operadora e pedir o estorno da venda. Nesse caso, o e-commerce deve arcar com todo o prejuízo de logística reversa.

Informe publicitário. 



Fale com a Redação

seis − 2 =