POLICIAL

Primeiro trimestre do ano chega ao fim com 83,33% menos mortes em vias do perímetro urbano

04 de abril de 2022 às 15:20
Publicidade

O primeiro trimestre de 2022 chegou ao fim com um balanço positivo no que se refere à redução da gravidade dos acidentes de trânsito de Cascavel. O índice de mortes por acidentes em via pública caiu 83,33% quando se compara igual período do ano passado. Nesses três primeiros meses do ano houve o registro de uma vítima fatal (motociclista) em acidente, que ocorreu no mês de março, diferente do ano de 2021, quando foram registradas duas mortes no mês de janeiro (um motociclista e um ciclista); uma em fevereiro (um motociclista) e três em março (dois motociclistas e um ciclista).

Esses dados preliminares foram computados pelo Setor de Estatísticas da Transitar, com base no levantamento do Sistema Bateu; apesar da possibilidade de alguma alteração com a reunião de avaliação do Cotrans/PVT nos próximos dias – quando são considerados dados do IML, 6º BPM, Secretaria de Saúde e Siate – já se consegue avaliar a redução na gravidade das ocorrências, uma tendência positiva que vem se revelando desde o ano anterior, que encerrou com um quantitativo 9,09% menor de mortes por acidentes se comparado com 2020.

O número de pessoas feridas encaminhadas aos hospitais ficou 7,55% menor. Esse índice reflete uma pequena redução na gravidade nos sinistros, que se manteve equivalente. Nos três primeiros meses de 2021, foram 878 acidentes, enquanto que no primeiro trimestre deste ano, 885.

“Observa-se uma redução significativa nos óbitos por acidentes de trânsito, que é o principal objetivo dos órgãos de trânsito, saúde e segurança pública, e isso é uma vitória para a sociedade, porque quando falamos em vidas preservadas, falamos em otimização de recursos da saúde, de redução de problemas sociais, de segurança e de preservação das famílias. Quando temos como foco zerar as mortes no trânsito e alcançamos resultados positivos, consolidamos o processo de humanização esperado para o trânsito”, enfoca a presidente da Transitar, Simoni Soares.

Simoni avalia que os resultados só são possíveis a partir da integração e comprometimento de várias instituições, secretarias municipais e a imprensa, que têm atuação direta neste cenário, cada um cumprindo seu papel em suas competências, contribuindo para a organização e segurança no trânsito. “Neste sentido, temos vários atores no processo: quando na realização de ações educativas, a integração da comunidade escolar; quando na melhoria da visibilidade das vias, por meio da limpeza urbana da Secretaria do Meio Ambiente; na melhoria da malha asfáltica com a Secretaria de Obras; nas operações-bloqueio integradas com a Polícia Militar e a Guarda Municipal; a colaboração de toda a população por meio dos canais de atendimento; o Corpo de Bombeiros no socorro às vitimas e no estreitamento dos canais para melhoria da engenharia e de fiscalização; e o importante papel dos veículos de comunicação e sua participação efetiva e permanente na divulgação e colaboração para a segurança viária”.

Embriaguez ao volante lidera autuações

A embriaguez ao volante vem liderando as blitze periódicas. Somente entre os dias 26 de fevereiro e 19 de março um total de 236 autuações foram realizadas em operações integradas PM/GM/Transitar e, desse total, foram lavradas 146 autuações por embriaguez ao volante, sendo que dessas, 58 foram encaminhadas à 15ª SDP por crime de trânsito (artigo 306 do CTB). Somente no fim de semana de 18 e 19 de março, a média de infrações das operações foi de mais de 70% por embriaguez ao volante.

Além de embriaguez, que é um problema sério de saúde pública e de reflexo direto na violência do trânsito com vítimas, também foram autuados nesse período 22 condutores não regularmente habilitados, outra irregularidade que pode ocasionar graves e gravíssimos acidentes de trânsito, com vítimas fatais.

Ao todo, incluindo as fiscalizações em blitze e as de estacionamento nos canteiros centrais da Avenida Brasil, onde é proibido estacionar, no período entre as 24 horas e as 6 horas (os denominados bobódromos) e que voltaram a ser alvo de denúncias da população, foram realizadas 339 infrações de trânsito.

Tripé do trânsito

Para que haja maior respeito ao CTB e impacto na redução da violência no trânsito são realizadas essas ações rotineiras, planejadas com base em estatísticas do Cotrans/PVT – Programa Vida no Trânsito -, com foco na conscientização dos condutores, unindo intervenções de engenharia, ações educativas direcionadas e intensificação de fiscalização.

“Outro ponto relevante para a melhoria da segurança viária é a sinergia dos setores do departamento de trânsito, que atuam conjuntamente na engenharia, educação e fiscalização, sempre ouvindo as necessidades da população e desenvolvendo o planejamento de ações com bases de informações sólidas”, ressalta Simoni.

Além das blitze, este ano, já foram feitas diversas ações educativas. Somente em áreas escolares, o setor de Educação já realizou 26 ações e alcançou mais de 2 mil pessoas. Essas 191 áreas escolares estão recendo reforço na sinalização, estando concluídos 90% do cronograma. Na volta às aulas foram realizadas ações pontuais no entorno das escolas e, na sequência, iniciou-se o Projeto Rua Segura, cuja metodologia de trabalho é mais completa e abrangente e envolve toda a comunidade escolar, com teoria e prática.

Paralelamente, nessas áreas escolares, também está sendo necessário atuar com fiscalização devido a denúncias. Já foram realizadas 40 ações de fiscalização onde há maior conflito de trânsito e desrespeito à organização no entorno escolar, situações que podem gerar atropelamentos e acidentes.

Secom

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE