Perdão (se é que é possível perdoar), como efeito, podemos experimentar algo novo. Se, após perdoar, ainda existem rusgas entre as partes, se existe conflito, mágoa, rancor ou qualquer outro sentimento ruim, o perdão não aconteceu.

O efeito do perdão é a paz. Se o efeito não é percebido, não houve perdão.

 

Equilíbrio

Existe uma Lei Sistêmica que chamamos de Equilíbrio de Troca, ou equilíbrio entre o dar e o tomar.

Para que as relações entre iguais prosperem, é necessário que o que se dá e o que se toma estejam em equilíbrio.

Quando existe uma relação e uma das partes cometeu uma violação, aquele que violou causou um dano. Então, ele diz ao que recebeu o dano: “Me perdoa!”

Como fica aquele que foi violado? O que acontece do ponto de vista do equilíbrio? Quando uma pessoa causa um dano à outra e pede perdão ou que o outro a desculpe, além de causar um dano, ainda quer que o outro limpe “a sua sujeira”. Fica justo?

Se aquele que foi ofendido, simplesmente perdoar, o equilíbrio não acontece. Aquele que foi violado tem o direito de reivindicar uma compensação. O perdão sem compensação é um duplo dano. Fica muito pesado para uma das partes. E a relação não tem força para se manter.

O perdão sem compensação tem um EFEITO. E este efeito é DANOSO.

 

Qual seria a solução?

Aquele que causou o “dano” precisa compensar, precisa reparar o “dano” causado.

Se não estiver disponível para reparar, aquele que foi lesado precisa devolver, precisa “dar o troco”. Porém, numa medida um pouco menor.

 

Como assim?

Para que a relação tenha chance de continuar, a compensação precisa acontecer. Ou repara ou dá o troco.

Mas é desafiador pensar em dar o troco, porém, na prática, o resultado é surpreendente! E os relacionamentos podem ser restaurados. Além de restaurados, podem voltar a prosperar!!!

 

Pense nisso!

Saia da inocência!

Observe a sua vida, identifique onde há violações e se movimente para a solução!

Se precisar de ajuda, solicite! Será um prazer contribuir!

 

Graciele Reimann Gatto