Na manhã desta quarta-feira (28), cerca de 20 Policiais Federais das Delegacias de Guaíra/PR e Chapecó/SC, enfrentaram o frio recorde para dar cumprimento às ordens judiciais de busca e apreensão e sequestro de bens nas cidades de Chapecó, Xaxim e Xanxerê no oeste de Santa Catarina.

Ao todo foram cumpridos 3 mandados de busca e apreensão e ordens de sequestro expedidas pelo Juiz Federal da Vara Federal de Guaíra/PR.

A Operação Darth, assim batizada em homenagem a um dos cães farejadores da PF, teve início em 06/07/2021 após a apreensão de aproximadamente 1 tonelada de cocaína na cidade de Guaíra.

Segundo levantamento interno, a apreensão de cocaína foi a maior já realizada pela PF em Guaíra/PR.

A droga estava escondida na lataria dos bitrens que transportavam carga de soja. Para encontrar o entorpecente, a PF contou auxílio do cão farejador Darth.

Naquela oportunidade 3 homens foram presos, sendo os motoristas das carretas e um ajudante.

A investigação conduzida pela Delegacia de Polícia Federal em Guaíra e que contou com apoio da Delegacia de Chapecó/SC apontou que os responsáveis pelo transporte da droga e que foram presos no dia 06/07, utilizavam-se de uma revenda de automóveis como fachada para ocultar o proveito dos crimes, adquirindo diversos veículos para posterior revenda, dissimulando assim os altíssimos lucros obtidos com a prática do tráfico de drogas.

Durante as diligências constatou-se que os investigados registravam os veículos em nome de terceiros e que estas interpostas pessoas outorgavam procurações para viabilizar a revenda dos veículos e não levantar quaisquer suspeitas sobre os reais proprietários dos bens, já que não poderiam justificar o patrimônio a descoberto.

A apreensão de mais de uma dezena de veículos no Estado de Santa Catarina foi determinada pela Justiça Federal em Guaíra e se deu após as investigações demonstrarem que o grupo detinha organização suficiente para, além da complexa logística de transporte de cocaína do Estado do Mato Grosso do Sul para o interior do país, blindar o patrimônio auferido ilicitamente, mantendo negócios com aparência de lícitos em outro Estado da Federação.

A desarticulação financeira do grupo criminoso está de acordo com a estratégia da Polícia Federal de atacar o patrimônio das organizações criminosas envolvidas com o tráfico de drogas.

Assim, além do prejuízo causado pela apreensão das drogas e caminhões bi-trem na ocasião da prisão em flagrante, estão sendo também sequestrados pelo menos R$ 400 mil reais em veículos pertencentes ao grupo.