Necropsia não aponta mal súbito; moradores pedem segurança

Os dois morreram após a caminhonete em que estavam cair no Rio São José

A morte de Irani Mário Lottici, 76 anos, e Cesar Brás François, 54 anos, chocou a comunidade do Distrito de São Salvador, em Cascavel. Os dois morreram após a caminhonete em que estavam cair no Rio São José.

A primeira versão apresentada por testemunhas e amigos das vítimas é de que o motorista, Irani, teria sofrido mal súbito e perdido o controle do veículo, o que teria causado o acidente. Mas de acordo com a necropsia realizada pelo IML (Instituto Médico Legal) não havia sinais e a causa da morte de Irani foi traumatismo craniano, causado pelo impacto do capotamento. Irani morreu na hora do impacto. Já o passageiro César morreu por afogamento, pois ele ficou preso no veículo pelo cinto de segurança. Moradores que tentaram retirar Cesar ainda com vida do local afirmaram que não conseguiram cortar o equipamento.

Ao contrário do que foi divulgado na data do acidente, as vítimas não são moradoras de Toledo. Os dois moravam em Cascavel e foram até a propriedade de um amigo buscar carne.

Moradores do Distrito de São Salvador, que preferiram não ser identificados, afirmam que acidentes do gênero são comuns no local e que até uma viatura da Polícia Militar já teria caído no córrego. Eles disseram que já solicitaram ao Município a instalação de proteção na ponte e sinalização na curva que antecede a ponte, já que, por se tratar de estrada rural, não há sinalização no local. É que o curso do rio foi alterado durante reparos na via e por isso a ponte foi construída após a curva.

A reportagem do HojeNews enviou um questionamento sobre possíveis providências à prefeitura, mas não houve retorno.

Reportagem: Cláudia Neis



Fale com a Redação

seis + 18 =