Milho safrinha: fim do plantio no Estado e oeste se prepara para colher

A Seab (Secretaria de Agricultura e do Abastecimento do Paraná) divulgou nesta semana, por meio do Deral (Departamento de Economia Rural), o relatório de plantio, colheita e comercialização das principais safras do Estado.

O levantamento apontou que o plantio do milho segunda safra no Estado já foi encerrado no total da área esperada. Nos dados da semana passada, esse índice era de 99%.

Até o momento, 40% estão em descanso, enquanto 26% já avançaram para floração, 31% está em frutificação e 3% já avançaram para a maturação.

Já nos dados referentes à primeira safra, o Paraná apresenta 87% avaliado como condição boa, 12% como média e 1% em ruim estado. A maior parte plantada se encontra na fase de maturação (98%), enquanto os 2% restantes estão em frutificação.

Até o início da semana o estado paranaense já havia colhido 92% da área de milho 1ª safra.

Após o início da safrinha de milho sofrer com a falta de chuvas e os produtores temerem pela capacidade produtiva das lavouras, o clima se normalizou e agora as expectativas são boas para a rentabilidade e qualidade da produção.

A preocupação fica apenas por conta dos preços, que devem cair até o momento da colheita. “De modo geral, quem se precaveu com contratos bons, pensando em saldar suas contas, fez bom negócio porque a tendência do milho é cair o preço”, diz Silvanir Rosset, presidente do Sindicato Rural de Guaíra.

 

No oeste

Enquanto no Estado se encerra o plantio, na região oeste do Paraná os produtores estão muito próximos de iniciar a colheita. Isso porque o ciclo da safrinha foi antecipado em um mês com o desenvolvimento mais curto da safra de soja.

A colheita de uma supersafra de milho no oeste começa ainda neste mês. A expectativa é de uma produção regional de 5 milhões de toneladas em 758 mil hectares cultivados nos núcleos de Cascavel e de Toledo, em 48 municípios.

 



Fale com a Redação

19 − 14 =