Curitiba – Da década anterior para a atual, o Brasil acumula uma expansão no número de empresas do ramo de serviços em TI (Tecnologia da Informação). Atualmente, elas somam 250,6 mil em todo o País, ou 49% mais do que o total existente em 2010. No período, destaca-se o crescimento do Paraná. Onze anos atrás, o Estado era o quinto em total de empresas; agora, além de ultrapassar o Rio Grande do Sul e chegar à quarta posição do ranking, está mais perto do terceiro colocado, Minas Gerais.

Esses e outros dados fazem parte da mais recente edição do “Insights Report – Panorama do Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação”, publicação da Assespro-PR (Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação no Paraná), em parceria com a UFPR (Universidade Federal do Paraná). O levantamento é feito com base em dados oficiais (da Receita Federal) e o diagnóstico serve de parâmetro para investimentos e políticas públicas no setor de inovação.

Consolidado em julho, e com dados relativos ao primeiro semestre de 2021, o boletim aponta, ainda, abertura recorde de empresas no ramo de serviços em TI, durante a pandemia de covid-19. Em 2020, foram 25 mil novos negócios nesse ramo, no País. Nos seis primeiros meses deste ano, já foram 16 mil novas empresas, o que equivale a 64% do registrado durante todo o ano de 2020.

Em contrapartida, assim como ocorreu no acumulado de uma década (2010-2020), o levantamento constata que, se de um lado cresce a quantidade de aberturas, a crise econômica a partir de 2015/2016 mantém como regra também o aumento da inatividade de negócios. Para as 16 mil empresas abertas no País no ramo de serviços em TI entre janeiro e junho de 2021, verificou-se um total de 5 mil outras inativas.

“A quantidade de empresas criadas [no Brasil] passou de cerca de 14 mil, em 2010, para 25 mil em 2020, uma alta de 79%. Já as empresas inativas passaram de cerca de 6 mil para 11 mil [no mesmo período], um aumento de 80% de inativas”, sublinha o estudo. O crescimento na abertura de novas empresas, no decênio, foi freado pelos resultados de 2015 e 2016, quando houve quedas no PIB de -3,5% e -3,3%, respectivamente.

 

Ranking nacional

O boletim aponta que o Paraná apresentou taxa de crescimento de empresas no ramo de serviços em TI da ordem de 70%, entre os anos de 2010 e 2020. Acima dos 40% de média nacional no mesmo período. No primeiro semestre de 2021, são 1,2 mil novas empresas no ramo em questão, ao passo que outras 300 foram identificadas em inatividade.

“A quantidade de empresas criadas passou de 900, em 2010, para cerca de 1,7 mil, em 2020, com um incremento de 90%”, indica o levantamento. Por outro lado, as empresas inativas passaram de cerca de 300, em 2010, para cerca de 700, em 2020, aumento de 130%.

Atualmente, o Paraná conta com um estoque de quase 16 mil empresas ativas no ramo de serviços em TI. Um pouco acima dos 15,1 mil ao término de 2020, exercício cujo ranking tem São Paulo na liderança, com 118 mil empresas em atividade. O segundo da lista é o Rio de Janeiro, com 24 mil. A diferença entre o primeiro colocado e as demais unidades da federação mostra a concentração do setor especificamente em São Paulo.

 

 

DADOS – BRASIL

Empresas criadas

2010 14,1 mil

2020 24,5 mil

1º semestre de 2021       16,2 mil

 

Empresas inativas

2010 5,8 mil

2020 11,1 mil

1º semestre de 2021       5,5 mil

 

Estoque (criadas, menos inativas)

2010 168,1 mil

2020 239,9 mil

1º semestre de 2021       250,6 mil

 

 

DADOS – PARANÁ

Empresas criadas

2010 900

2020 1,7 mil

1º semestre de 2021       1,2 mil

 

Empresas inativas

2010 300

2020 700

1º semestre de 2021       300

 

Estoque (criadas – inativas)

2010 9,5 mil

2020 15,1 mil

1º semestre de 2021       16 mil

 

 

RANKING – 5 ESTADOS COM MAIS EMPRESAS

 

Estoque de empresas, por estado

Estado        2010 Estado        2020

SP     85 mil         SP     118 mil

RJ     19 mil         RJ     24 mil

MG   12 mil         MG   17 mil

RS     10 mil         PR     15 mil

PR     9,5 mil        RS     13 mil