Integrantes do PCC vão a júri por homicídio

O corpo tinha ferimentos de faca nas costas e no pescoço

Vão a júri popular hoje no Fórum Estadual de Cascavel Luan da Silva e Marcelo de Oliveira Novossate. Eles são acusados da execução de Anderson Carneiro, de 17 anos, encontrado morto dia 19 de agosto de 2018, na zona norte de Cascavel. A acusação é de homicídio qualificado com as qualificadoras de motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima.

O corpo tinha ferimentos de faca nas costas e no pescoço.

Conforme os autos do processo, Anderson teria sido morto por vingança pela morte de um membro do PCC (Primeiro Comando da Capital) em Realeza.

Além da acusação por homicídio, a dupla responde no mesmo processo por integrar facção criminosa, constando nos autos que “são membros ativos e com funções de destaque na organização criminosa PCC, dedicados membros da nominada facção, com atividade voltada à prática de infrações penais”.

Luan e Marcelo estão presos na PEC (Penitenciária Estadual de Cascavel) e, devido ao alto nível de periculosidade da dupla, foi solicitado reforço na escolta dos acusados da PEC ao Fórum para o júri.



Fale com a Redação

vinte − 4 =