Ana Paula Santos irmã de Gisele Costa Santos, de 26 anos, encontrada morta na manhã desta quinta-feira (8), na estrada Chaparral, em Cascavel, informou durante uma entrevista coletiva, que a vítima teve folga nessa terça-feira e que estaria encaixotando a mudança e na quarta-feira não compareceu ao trabalho.

Ana contou a imprensa que a irmã era trabalhadora e focada. Ela vivia sozinha, nunca dependia de ninguém pra viver, ela saia as 16h e volta para casa de madrugada.

Gisele tinha acabado de subir de cargo na empresa em que trabalhava, e por isso iria se mudar para uma casa melhor.

Na casa da vítima, havia comida no fogão e várias caixas com a mudança pronta.

Em contato com a proprietária da casa em que Gisele morava, a irmã descobriu que ela não foi vista ontem na residência.

Ana Paula também afirmou que Gisele era muito reservada sobre assuntos pessoais e que não tinha conhecimento de que a irmã tivesse algum envolvimento amoroso com alguma pessoa.

As causas da morte não foram divulgadas, mas Ana Paula informou que a irmã tinha sinais de asfixia, algumas queimaduras pelo corpo e não apresentava sinais de abuso sexual conforme disse o médico legista.

Os exames de necropsia serão encaminhados para análise laboratorial para confirmar a causa.

Ela disse que a parte mais dolorosa é contar aos pais que a irmã morreu.

O corpo de Gisele foi encontrado com os pés e mãos amarrados dentro de um roupeiro que também estava amarrado às margens de uma estrada rural na região oeste de Cascavel.

Veja a entrevista completa: