O Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Curitiba, com apoio da Corregedoria da Polícia Civil do Paraná, cumpriu nessa terça-feira (18), três mandados de busca e apreensão contra dois policiais civis (um delegado e um investigador) lotados no 13º Distrito Policial da Capital. Um dos mandados foi cumprido no DP, e os outros dois, nas residências dos investigados. O investigador foi preso em flagrante por porte de drogas para fins de tráfico.

Durante a ação, foram encontrados no interior da viatura usada pelo investigador, que estava estacionada em sua residência, quatro simulacros de arma de fogo, um pen drive, dois celulares e invólucros contendo entorpecentes. Segundo depoimentos colhidos durante as investigações, esses aparatos fariam parte de um “kit flagrante”, usado para incriminar pessoas por tráfico de drogas.

A operação foi batizada de Carta Branca em alusão à concessão deliberada feita pelo delegado em favor do investigador, que possuía “carta branca” para forjar flagrantes contra desafetos e incriminá-los por tráfico de drogas.