As ações de inteligência, integradas com policiamento ostensivo das unidades operacionais da Polícia Militar, resultaram no encaminhamento de 1.080 pessoas que estavam com mandados de prisão em aberto nos últimos 52 dias. A operação Báratro, a maior feita neste sentido nos últimos anos, foi desenvolvida pelo Centro de Inteligência da PM, e teve por objetivo reduzir a sensação de impunidade e a reincidência de crimes praticadas por pessoas que já deveriam estar no sistema penitenciário.

“Estamos com várias ações da PM em andamento, operações em larga escala para combater o crime organizado, assim como a Báratro. O efeito preventivo dessas prisões vai contribuir muito com a segurança pública do nosso Estado”, disse o comandante-geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira.

Ao longo de quase dois meses de trabalho, os policiais militares buscaram informações, planejaram ações e abordagens para localizar as pessoas foragidas. Com a coordenação do Centro de Inteligência, 44 Agências Locais de Inteligência de todo o Estado contribuíram para a prisão de centenas de pessoas que já deveriam estar cumprindo pena.

As prisões ocorreram entre 6 de julho e 27 de agosto em todo o Paraná, uma média de 20,7 encaminhamentos por dia, volume que demonstra a efetividade do serviço de inteligência na localização dos foragidos para que as equipes ostensivas pudessem fazer as prisões. “Nosso objetivo é levar mais tranquilidade ao cidadão e esta operação é uma resposta a este anseio”, destacou o coronel Hudson.

Na Capital, as unidades policiais do 1º Comando Regional da PM (1º CRPM) localizaram 216 foragidos. Já na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), 167 foragidos da justiça foram encaminhados pelas equipes da Polícia Militar.

Na região de Cascavel foram 159 mandados de prisão cumpridos; na região de Londrina, 182; na região de Maringá, 137; na região de Ponta Grossa, 201; além de 36 prisões feitas pelas unidades especializadas da corporação.