Dois flamingos, dos quatro que sobreviveram ao ataque das onças na madrugada de terça-feira (9), morreram nessa quarta-feira (10), informou o Parque das Aves.

Agora, são 174 flamingos mortos, nem todos por conta do ataque direto dos felinos, uma fêmea adulta e seu filhote de menos de dois anos. A maioria morreu de parada cardíaca pelo estresse da situação.

Além das duas aves que sobreviveram, ainda há outros dois filhotes, que não estavam no viveiro, junto com os outros flamingos, no momento do ataque. Portanto, o Parque das Aves tem, neste momento, quatro flamingos, de quase 180 que habitavam o local.

Histórico

Os primeiros flamingos chegaram ao Parque das Aves em 1995, logo no primeiro ano do atrativo, e resgatados da África do Sul. O primeiro filhote criado em cativeiro nasceu seis anos depois, em 2001. Em 26 anos do Parque das Aves, essa foi a primeira vez em que um incidente dessa natureza ocorreu.

Ainda está sendo investigado como as duas onças conseguiram entrar naquele espaço durante a madrugada. Por instinto, as onças fêmeas ensinam os seus filhotes a caçar, até serem maiores de dois anos e começarem a andar sozinhos na mata. E foi o que teria ocorrido na terça-feira.

A equipe do projeto Onças do Iguaçu garante que é muito raro as pessoas encontrarem os felinos, que possuem hábitos noturnos. O normal é as onças fugirem dos humanos. A presença de onças é importante para o equilíbrio da natureza e e meio ambiente. Lembrando que as onças pintadas são animais ameaçados de extinção e somente 28 vivem no momento no Parque Nacional do Iguaçu.

 Portal da Cidade Foz do Iguaçu