Cresce percentual de endividados no Paraná

A média geral de endividados no Estado ficou em 90,42% no ano passado, o que representa aumento de 1,5 ponto percentual em relação a 2018.

Curitiba – Os paranaenses encerraram 2019 do mesmo jeito que começaram: endividados. Segundo pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) e da Fecomércio PR (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná), 90,88% das famílias que vivem no Paraná possuíam algum tipo de dívida em dezembro. Esse percentual é semelhante ao registrado em janeiro, quando 90,01% afirmavam estar endividadas. A média geral de endividados no Estado ficou em 90,42% no ano passado, o que representa aumento de 1,5 ponto percentual em relação a 2018.

Já a parcela de famílias com contas em atraso caiu no último mês de 2019, passando de 29,44% em novembro para 28,87% em dezembro, em função, basicamente, do pagamento do 13º salário e da liberação dos saques do FGTS. Em janeiro, 27,84% iniciaram o ano passado com contas pendentes.

Por outro lado, aquelas famílias que não conseguiram quitar as dívidas ficaram em situação mais delicada no fim do ano. Houve aumento da parcela de endividados que afirmavam que não conseguiriam pagar seus débitos: passou de 10,82% em novembro para 11,87% em dezembro. Em janeiro, 11,17% dos paranaenses reconheciam não ter condições de pagar suas dívidas.

Intenção de compra

A quantidade de análises de crédito realizadas em 2019 aumentou na comparação com o ano anterior: foram 900 mil consultas a mais no sistema oferecido pela Faciap em parceria com o SPC Brasil às associações comerciais e aos empresários. O crescimento foi de 10,66%.

O aumento revela como ocorreu a movimentação no comércio durante o ano. Segundo o vice-presidente para a Rede de Benefícios da Faciap, Claudenir Machado, os dados demonstram um aumento na intenção de compra entre os consumidores paranaenses. Alguns meses foram melhores do que outros, mas o balanço geral é positivo, de acordo com ele.

A Faciap também registrou o número de consultas de análise de crédito por região. A de Maringá, representada pela Cacinor, teve um crescimento de 26,65%. Já na de Cascavel (Caciopar), a alta foi de 4,69%. Na de Londrina, da Cacinp, o aumento foi de 5,21%. A região de Ponta Grossa, da Cacicpar, registrou 5,19% consultas a mais. A de Umuarama, da Cacier, aumentou as análises em 6,36%. Na de Irati, em que está a Cacesul, houve 2,22% de alta. Já na de Wenceslau Braz, da Cacenorpi, foram 9,62% de consultas a mais. E na região de Curitiba, da Cacileste, o crescimento foi de 0,22%.

Também houve regiões com queda, a exemplo de Francisco Beltrão (Cacispar), onde houve redução de 0,28%; em Campo Mourão (Cacercopar), de 3,36%; em Guarapuava (Cacicopar), de 0,79%; e na região de Paranavaí (Cacinpar), com a queda mais significativa: 18,23% análises de crédito a menos.

 

 



Fale com a Redação

doze + 6 =