Toledo – No IML (Instituto Médico Legal) de Toledo há quatro médicos em atuação. Desses, três são PSS (Processo Seletivo Simplificado), cujos contratos vencem até setembro. Sem a decisão do governo do Estado de empossar 170 novos servidores para os IMLs do Estado nesta semana, em Toledo apenas um médico atenderia a demanda de 21 municípios a partir do término dos contratos. Sem contar a insegurança do contrato temporário: “Eles trabalham em escala de 24 horas para exames clínicos. Casos urgentes e de necropsia são atendidos o tempo todo. E no fim de semana fazemos uma troca para que não fique o mesmo médico todo fim de semana”, explica o diretor do IML de Toledo, Edvaldo Torres.

O chamamento dos servidores concursados traz alívio: “Além dos médicos, vamos receber pelo menos cinco auxiliares de perícia. Sem esse pessoal, tentamos manter em dia o trabalho, mas há sobrecarga”.

Já o IML de Foz do Iguaçu atende sete municípios. Dos quatro médicos, três são PSS. No local, há três funcionários administrativos, dois estagiários e quatro auxiliares de necropsia.

Em Cascavel, ainda não se sabe quantos concursados virão. De acordo com a direção, são três médicos, dois auxiliares e dois motoristas que atuam no regime temporário e, por conta da falta de pessoal, atualmente não é possível fechar a carga horária semanal com escala de 24 horas.

Segundo a Sesp (Secretaria de Segurança Pública do Paraná), ainda não foi estabelecido o número de servidores que atuarão em cada unidade.

Distribuição

A governadora Cida Borghetti empossou nesta semana 170 servidores para atuar nas 18 unidades do IML do Estado e no Instituto de Criminalística do Paraná. Essa é a maior contratação de profissionais da história da instituição.

Conforme a Sesp, serão mais de 60 médico-legistas, além de auxiliares de perícia e de necropsia. Somadas essas contratações e as contratações do início do Governo Cida para a Polícia Científica, são 186 novos funcionários.

Os servidores começam um curso de formação em Curitiba nesta semana, com duração de 100 horas, e depois farão treinamentos práticos nas novas unidades em que serão distribuídos.