Reportagem: Cláudia Neis

Corbélia – Vai a júri popular hoje, a partir das 9h, Luiz Fernando Brandão. Ele é acusado da morte de Thiago Bruno Fabris Sartori, 23 anos. O crime aconteceu na noite do dia 7 de maio de 2017, em frente à casa de Thiago, em Ouro Verde do Piquiri, distrito de Corbélia. O crime chocou a comunidade local.

De acordo com os autos do processo, a arma usada no crime foi uma faca de serra, com a qual Luiz deu um golpe no rosto de Thiago. A cena aconteceu na frente da mãe da vítima, que diz esperar que justiça seja feita.

Em meio à dor, Marcia Helena  Simelli Sartori lembra o que aconteceu: “Durante a tarde, o Thiago estava em uma festa em Boa Vista, uma comunidade que pertence a Anahy. Lá, o Luiz bateu em um menino de 15 anos, e quando a briga já tinha acabado, algumas pessoas, entre elas o Thiago, disseram a ele que era uma vergonha bater em um menino menor. Ele não gostou e acabou discutindo com o Thiago. Mas depois disso cada um foi para o seu lado e a festa continuou. Quando o Thiago chegou em casa e foi organizar os carros na garagem, o Luiz chegou no portão de casa e começou a provocar o Thiago. Eu ouvi e fui até lá. Quando estava chegando perto dos dois, que já estavam na rua, o menino deu a facada no rosto do meu filho, que desmaiou na minha frente”.

Emocionada, ela conta ainda que o corte parecia superficial e que Thiago foi socorrido em Corbélia, depois levado ao HU (Hospital Universitário) de Cascavel, onde já chegou em estado gravíssimo e faleceu dias depois. A causa da morte foi traumatismo crânio encefálico causado pela facada.

A acusação é de homicídio qualificado, com as qualificadoras de motivo torpe, já que o crime foi motivado por vingança pela discussão que eles haviam tido horas antes, e também uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, já que Luiz trazia a faca escondida e atraiu a vítima para o lado escuro da rua para então golpeá-la.

Luiz fugiu do local e se apresentou à polícia dias depois. Ele está preso.

Marcia desabafa: “Acredito muito na Justiça. Não teremos meu filho de volta, mas peço que ele tenha consciência do que fez, de ter tirado a vida do meu filho e que não faça isso com mais ninguém. Não desejo para nenhuma mãe, nenhum pai, passar pela situação que passamos todos os dias, que é a falta do Thiago, que é muito grande nas nossas vidas”.