Brasília – O presidente Jair Bolsonaro sancionou nessa quarta-feira (19) duas medidas provisórias que liberam recursos para linhas de créditos emergenciais para empresas. Ao todo, o governo autorizou repasses no valor de R$ 22 bilhões. “Estamos fazendo o ciclo final das medidas de crédito, são as últimas medidas de crédito”, afirmou o ministro da Economia, Paulo Guedes, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

Segundo o ministro, não há mais razão para socorrer os empresários porque “o Brasil está voltando [a crescer] em V”. “Um ‘V’ que a volta é mais lenta que a queda, mas é mais segura”, especificou.

Em sua fala, Guedes prometeu também não aumentar a carga tributária: “Se surgir um imposto, é porque vão morrer quatro ou cinco”.

Guedes disse que haverá uma oferta de R$ 200 bilhões a R$ 300 bilhões em crédito para empresas nos próximos três a quatro meses, o que ajudará a aquecer a atividade econômica. Ele também lembrou o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), considerado por ele um “sucesso absoluto”, dizendo que o programa continua sendo calibrado.