São Paulo – Os ativos domésticos fecharam em baixa nessa quinta-feira (26), afetados pelas incertezas nacionais e internacionais, com grande destaque para o Simpósio de Jackson Hole, evento organizado pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano) marcado para esta sexta-feira, que deverá trazer mais pistas sobre o futuro da política monetária dos Estados Unidos. A Bolsa brasileira (B3) perdeu o patamar dos 119 mil pontos logo no final do pregão, em queda de 1,73%, aos 118.723,97 pontos, enquanto o dólar avançou 0,87%, cotado a R$ 5,5268.

Com perdas mais visíveis em Nova York após a confirmação da morte de militares americanos em duas explosões em Cabul, no Afeganistão, o Ibovespa acentuou o ajuste à tarde, também à espera do discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, em Jackson Hole. O índice passa agora a acumular perda de 2,53 no mês, com ganho no ano mais uma vez zerado, em queda de 0,25%.

A expectativa é de que Powell dê mais pistas sobre as condições para o início da redução do programa de compra de títulos públicos, o chamado “tapering”, previsto para começar ainda neste ano. Além da adoção de um tom mais “duro”, no entanto, apertos mais firmes nas medidas de estímulos adotadas na pandemia não são esperados. “Hoje o mercado realizou lucros, tirando o pé, ajustando-se à possibilidade de Powell entrar amanhã com sinalização de ‘tapering’, tendo precificado antes que não viria nada em Jackson Hole”, diz Daniel Miraglia, economista-chefe do Integral Group.