São Paulo – O cenário político nacional calmo, sem grandes desavenças entre os poderes, permitiu que os ativos tivessem um dia de recuperação nessa terça-feira (24), cujo cenário positivo foi reforçado ainda pelo comprometimento do governo com o teto de gastos. A Bolsa brasileira (B3) subiu 2,33%, aos 120.210,75 pontos, enquanto no câmbio, o dólar cedeu 2,23% ante o real, a R$ 5,2622. Ambos tiveram o melhor desempenho desde 13 de agosto.

O avanço foi o suficiente para colocar o Ibovespa de volta em terreno positivo no acumulado do ano, agora com avanço de 1% em 2021, com a limitação das perdas em agosto a 1,31%. Na semana, sobe 1,83%.

Em evento da XP Investimentos, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), afirmou que o relatório da reforma administrativa, nas mãos do deputado Arthur Maia (DEM-BA), deve ser apresentado na Casa esta semana, e disse também que pretende discutir com setores do governo, no mesmo período, a PEC dos Precatórios.

Lira afirmou que buscará, com o STF (Supremo Tribunal Federal), uma solução para que a PEC respeite o teto de gastos, acrescentando já ter marcado um encontro com o presidente do STF, Luiz Fux, para que a Corte faça a mediação de solução para o tema.

“Houve um otimismo do mercado com o discurso do presidente da Câmara, com aceno de comprometimento com a questão fiscal, que é o nosso calcanhar de Aquiles. Mas esse discurso ainda não traz uma solução final para o problema”, afirma a economista-chefe do Banco Ourinvest, Fernanda Consorte.

No exterior, o desempenho positivo de commodities como o petróleo, com o Brent de volta a US$ 71 por barril, e o minério de ferro, em alta superior a 6% na China, contribuiu para alavancar a recuperação observada no Ibovespa hoje, colocando em destaque o setor de mineração, com Vale ON em alta de 3,65% e siderurgia, com Usiminas PNA subindo 7,10% e CSN ON, 5,35%. Petrobras ON e PN tiveram ganhos mais “modestos”, de 0,96% e 1,96% cada.