No mês passado, pelo menos dois acidentes foram registrados envolvendo veículos e animais em Cascavel. Nos dois casos, os proprietários cavalgavam com o animal pela estrada e não foram vistos pelos motoristas. Em todos os casos, os animais morreram. Em um deles, um jovem de 18 anos morreu na hora.

Em março, ao menos quatro acidentes destas mesmas características foram registrados. Sempre em rodovias ou asfalto, com vítimas em estado grave e resultando na morte do animal.

Na madrugada de ontem, um boi atravessava a rodovia BR-277 quando uma família, que seguia de carro, acabou colidindo contra o animal. Ninguém, no carro, se feriu gravemente, mas o veículo ficou destruído, além do susto, porque a colisão poderia ter resultado em uma tragédia.

O animal teve fraturas e foi deixado, agonizando, às margens da rodovia. Depois de horas de sofrimento, morreu. “Quando o animal está solto na pista e acaba ocorrendo um acidente, nunca conseguimos identificar o dono, que deveria ser responsabilizado por crime doloso, que há intenção de matar, afinal, se ele deixa um animal de grande porte ir para a rodovia, sabe que isso pode causar uma tragédia, além da morte do animal”, desabafa Marisandra de Quadros, que é protetora de animais de grande porte.

Conscientização

Os donos devem se conscientizar de não deixar o animal solto, além de evitar cavalgadas à noite. “Geralmente, são de cor marrom e quando o motorista vê, não dá mais tempo de frear. Quando os de grande porte pisam no asfalto, eles não saem do lugar porque não reconhecem o solo. Também se assustam com buzina, o que é prejudicial em caso de cavalgadas. Sair com o animal à noite em asfalto tem de ser evitado”, conclui.