O advogado que representa Orlando Vascelai Júnior, 37 anos, tem oito dias para apresentar a defesa referente à denúncia apresentada pelo Ministério Público e recebida na última segunda-feira (26) pela Justiça.

A acusação do MP é pelo artigo 273 do Código Penal, que prevê pena de 10 a 15 anos de prisão, bem maior que o tráfico de drogas.

Orlando foi preso no último dia 9 e é apontado na investigação da Polícia Civil como chefe de uma rede de venda de medicamentos abortivos (Cytotec). Conforme as investigações, ele estocava os comprimidos na casa dele em Cascavel e os enviava para todo o Brasil pelos Correios. Os medicamentos eram colados em meio a revistas de palavras cruzadas para evitar a identificação do produto na correspondência. Durante a investigação, a polícia identificou 23 remessas enviadas para vários estados.

Orlando, que é filho da secretária de Política Sobre Drogas e Proteção à Comunidade de Cascavel, Rosely Vascelai, permanece preso na Cadeia Pública de Cascavel.

Um pedido de soltura de Orlando já foi negado pela Justiça. Orlando já responde a outros inquéritos por diferentes crimes.