Unioeste paga médicos, mas sem previsão de compra de remédios

Faltam desde antibióticos até anestésicos

Cascavel – A Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) anunciou ontem (9) o início do pagamento do salário referente ao mês de abril dos médicos terceirizados que atuam no HU (Hospital Universitário) de Cascavel. Desde o dia 29 de junho os profissionais paralisaram parcialmente os atendimentos, priorizando apenas urgência e emergência e obstetrícia devido ao atraso.

De acordo com o diretor-geral do HU, Edison Luiz Leismann, a direção da Unioste conseguiu a liberação de R$ 1,5 milhão para o pagamento dos salários referentes a abril. “Conseguimos a liberação da Sefa (Secretaria da Fazenda) desse valor emergencial e na próxima semana devem ser liberados mais R$ 5,7 milhões para regularizar toda a situação do próximo salário e também da falta de remédios e insumos”, garante Edison.

O diretor reafirma ainda a justificativa já anunciada pela Unioeste de que o recurso já existia mas estava retido por conta da  Drem (Desvinculação de Receitas de Estados e Municípios) que, pela Emenda Constitucional 93/2016, determina que 30% das receitas sejam retidas.

Volta ao trabalho

Edison garantiu que já houve uma conversa com os profissionais e eles devem voltar ao trabalho em escala normal ainda hoje. Alguns dos profissionais consultados pela reportagem do Jornal O Paraná confirmaram a volta aos atendimentos.

E os remédios?

Mesmo com a nova promessa da liberação dos mais de R$ 5 milhões na próxima semana, dos quais parte seria destinada para a compra dos medicamentos que estão em falta no HU há semanas, o prazo para a regularização é longo. É que eles são adquiridos por licitação e, de acordo com o direito clínico do HU, Sérgio Luiz Bader, do processo até a chegada efetiva pode levar mais de 30 dias.

Além de renovar o estoque do HU, nessa mesma compra será necessário comprar também os medicamentos que estão sendo “emprestados” de hospitais particulares, desde antibióticos até anestésicos.

Concurso

Questionado sobre a proximidade do fim dos contratos com os médicos terceirizados sem solução apresentada para o concurso público cancelado pelo Estado, o diretor-geral afirma que o assunto será tratado hoje pelo reitor da Unioeste, Paulo Sérgio Wolf, em Curitiba, com equipes do governo.

HU já recebeu R$ 80,7 milhões

De acordo com o Estado, o total previsto para o Hospital Universitário de Cascavel em 2019 é de R$ 151.585.530. Desse total, já foram repassados R$ 80.763.593,07, sendo R$ 66.521.451 para pagamento de pessoal e R$ 14.242.142,37 para despesas correntes.

O HU arrecadou R$ 16.643.035,90 (recursos próprios) e o montante previsto para a Drem é de R$ 4.984.916,50, sendo que, desse valor, já foram utilizados R$ 2.417.663,22.

Os números fornecidos pelo governo do Estado contrariam a informação do diretor-geral do HU, Edison Luiz Leismann, de que, além do R$ 1,5 milhão liberado agora, ainda restariam mais de R$ 5 milhões retidos pela Drem que seriam liberados nos próximos dias.

Reportagem: Cláudia Neis



Fale com a Redação

dois × 3 =