Cascavel – Criada pelo governo federal ano passado para estimular as vendas do comércio, a campanha Semana do Brasil deste ano tem uma missão ainda maior: auxiliar na retomada da economia em todo o País.

Com o slogan “Todos juntos com segurança pela reconquista e o emprego”, a ação vai acontecer de 3 a 13 de setembro e está sendo considerada a “Black Friday” brasileira, até porque aproveita o feriado de Independência do País, comemorado no dia 7 de setembro, como acontece nos Estados Unidos, que têm tradição de promover descontos em feriados nacionais históricos.

O mês foi escolhido também por ficar fora das grandes datas que movimentam o comércio, como Dia dos Pais (agosto), Dia das Crianças (outubro) e Natal (dezembro).

O presidente do Sindilojas (Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Cascavel e Região), Leopoldo Furlan, diz que, em Cascavel, a adesão até agora é de alguns grupos de lojistas, que já estão se mobilizando. “Até agora, de 20 a 30 empresas vão fazer parte da campanha em Cascavel. Os empresários estão se mobilizando e articulando ações. O objetivo é turbinar as vendas e alavancar o comércio, depois das dificuldades enfrentadas pelas lojas, que sofrem restrição desde março”, informou.

Diretora de marketing de uma loja de confecções, Andressa Kucinski afirma que a expectativa é positiva com relação à campanha para a recuperação da economia. “Os clientes terão oportunidade de comprar os produtos com preços menores porque os descontos são de até 70%. Vivemos um momento diferente nos últimos meses, com a pandemia, e esperamos liquidar nossos estoques na Semana do Brasil”.