O Instituto Butantan suspendeu o envase de doses da vacina CoronaVac na noite desta quarta-feira (07) devido ao atraso na chegada de matéria-prima vinda da China. O instituto informou que negocia com o governo chinês para receber as novas remessas. “Todas as doses provenientes do IFA [Insumo Farmacêutico Ativo] recebido da China já foram envasadas. Neste momento, cerca de 2,5 milhões de vacinas se encontram em processo de inspeção de controle de qualidade – parte integrante do processo produtivo – para serem entregues na semana que vem ao Programa Nacional de Imunizações. Desde janeiro, o Butantan já entregou 38,2 milhões de doses da vacina ao País. Com uma nova remessa de IFA, prevista para a próxima semana, será possível integralizar todas as 46 milhões de doses referentes ao primeiro contrato com o Ministério da Saúde até o dia 30 de abril”, diz nota do instituto.

De acordo com o instituto, a matéria-prima está pronta para o embarque na China, mas houve um imprevisto: “Não há anormalidade. Não há retenção de vacina da China. Não há nenhum ruído de comunicação entre o Brasil e a China nem entre o Butantan e a Sinovac”,  assegurou Dimas Covas, diretor do Butantan, em entrevista à Globo News.

Dimas garantiu ainda que a suspensão não vai afetar o cronograma das entregas prometidas ao Ministério da Saúde.