Rio de Janeiro – A queda de 2,8% no PIB (Produto Interno Bruto) da agropecuária no segundo trimestre ante o primeiro trimestre de 2021 foi o pior desempenho dessa atividade desde o primeiro trimestre de 2019, quando houve um recuo de 2,9% ante o quarto trimestre de 2018. O PIB é a soma de toda a riqueza produzida.

Na comparação com o segundo trimestre de 2020, o PIB da agropecuária mostrou alta de 1,3%, segundo dados divulgados ontem (1º) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O PIB geral recuou 0,1% na comparação com o trimestre anterior.

Ao comentar o resultado, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, avaliou que os desempenhos da agropecuária e dos investimentos vieram abaixo do previsto, mas ponderou que ainda não tinha visto os dados em detalhes.

O sócio-diretor da consultoria MB Agro, José Carlos Vannini Hausknecht, disse que o resultado veio em linha com o esperado, mas já projeta quedas a partir do terceiro trimestre, na comparação com 2020: “Os números do segundo semestre do ano serão marcados pelos efeitos da seca em culturas como a cana-de-açúcar, o café, mas, sobretudo, o milho”.

 

Milho

Com a perspectiva negativa em relação ao milho safrinha, cujas lavouras sofreram com o plantio fora da janela ideal, a estiagem e, posteriormente, as geadas, a consultoria revisou sua projeção para o PIB da agropecuária no acumulado de 2021. Se antes era esperada estabilidade no indicador, agora a previsão é de queda de 1% em relação ao ano passado. Segundo Hausknecht, o bom desempenho da soja não vai ser suficiente para compensar os resultados que virão nos próximos dois trimestres. “A soja teve um desempenho muito positivo neste ano, mesmo com os atrasos na colheita. Outra atividade importante, mas que não tem ido muito bem, é a pecuária bovina. Com a redução no volume de abates, é um setor que limitou o crescimento do PIB no trimestre, mas deve fechar o ano no zero a zero”, afirma Hausknecht.

 

País cresceu menos

Após a queda significativa da economia registrada pela covid-19 em 2020, a economia, que vinha melhorando, voltou a cair no segundo trimestre. De acordo com os dados divulgados pelo IBGE, houve queda de 0,1% no PIB em relação ao primeiro trimestre. Economistas esperavam crescimento de 0,2%, após um primeiro trimestre que surpreendeu os especialistas com crescimento de 1,2% em relação ao trimestre final de 2020. O intervalo das projeções para o atual cenário ia de queda de 0,3% a alta de 0,7%.