ECONOMIA

Petrobras anuncia novo reajuste e Bolsonaro pede CPI para investigar conselho da estatal

18 de junho de 2022 às 09:15
Publicidade

 

 

Cascavel – As novas altas nos preços da gasolina e do diesel vendidos às distribuidoras anunciados sexta-feira (17) pela Petrobras já podem são sentidos nas bombas a partir deste sábado (18). O diesel não era reajustado desde 10 de maio – há 39 dias. Já a última alta no preço da gasolina havia sido em 11 de março – há 99 dias. Os preços do GLP não serão alterados. Com o reajuste, o preço médio de venda de gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro (alta de 5,18%). Para o diesel, preço médio de venda da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro (alta de 14,26%).

O aumento de 0,70 centavos no diesel vai impactar de forma imediata outros setores, como o dos transportes rodoviários. O presidente do Sintropar (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística do Oeste do Paraná), Antonio Ruyz, conta que o aumento pegou o setor de surpresa. Além disso, segundo ele, por conta do aumento, a tarifa do transporte também deverá sofrer reajuste de forma imediata. “Fomos surpreendidos mais uma vez com o aumento significativo no nosso principal insumo, o óleo diesel. Não tem como não dizer que esse impacto não será de imediato para as empresas de transporte”, disse Ruyz.

O presidente do Sintropar disse que o reflexo do reajuste é “imediato dentro da cadeia produtiva de transportes”. Segundo ele, o setor passar por um “momento delicado” e que não há como absorver os custos. “Então mais uma vez, infelizmente quem vai pagar essa conta somos nós, consumidores finais, que vamos sentir no supermercado, no alimento, no gás. Toda a cadeia que em algum momento precisa do transporte será impactada”, detalhou.

De acordo com Ruyz, a projeção é de que o aumento nas tarifas do transporte possa chegar em até 15%. “Como o transporte é muito complexo, onde você tem várias operações, desde os caminhões mais leves aos pesados, esse aumento pode chegar até 15% nas tarifas de transportes.”

 

Ameaça de greve

A Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores) divulgou nota alertando para a possibilidade de greve da categoria e da paralisação do país – cenário que remete às últimas paralisações, realizadas em 2015 e 2018. Outras organizações representativas da categoria não confirmaram discussões sobre o assunto, apesar da insatisfação com a alta dos combustíveis.

 

Bolsonaro crítica e pede CPI

 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) teceu críticas à Petrobras após a estatal anunciar o aumento. Segundo Bolsonaro, a empresa “pode mergulhar o Brasil num caos”. Além disso, ele chamou de “traição” o novo reajuste dos combustíveis e afirmou que já conversou com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), para articular a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o conselho da estatal petrolífera.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), vai reunir os líderes partidários nesta segunda-feira (20) para analisar proposta de taxação dos lucros da Petrobras e mudanças na política de preços praticada pela estatal. Lira também defendeu a renúncia do presidente da Petrobras, José Mauro Ferreira Coelho. O governo anunciou a demissão de Coelho no fim de maio, mas a substituição depende de nova assembleia de acionistas da empresa.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE