Publicidade

POLICIAL

Paraná utiliza somente 20% das tornozeleiras eletrônicas adquiridas

04 de julho de 2015 às 10:24
Publicidade

Cascavel – Mais de nove meses depois de o Estado do Paraná ter alugado cinco mil tornozeleiras eletrônicas, menos de mil estão sendo usadas. O motivo, segundo a assessoria de imprensa do Depen (Departamento Penitenciário), é a morosidade por parte do Poder Judiciário. Conforme o Depen, a autorização para que os presos do Estado utilizem essa ferramenta tem que partir da Justiça.

Segundo levantamento, até apenas 940 detentos tinham sido autorizados a usar a tornozeleira. A maioria estava detida no Centro de Reintegração Social de Londrina, onde 322 pessoas estão sendo monitoradas 24 horas por dia. Em Cascavel, onde a população carcerária é de mais de mil pessoas, somente 28 pessoas tiveram o pedido do benefício deferido pela Justiça.

Quando o sistema de monitoramento por tornozeleiras foi implantado, a previsão do Governo do Paraná era economizar R$ 9,5 milhões mensais com a custódia de detentos. O custo por detento em outubro do ano passado, quando as tornozeleiras foram adquiridas, era de R$ 2 mil mensais. Com o aparelho, esse custo cai para cerca de R$ 241.

(Com informações de Tissiane Merlak)

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE