Cascavel – O número de endividados voltou a crescer no Paraná de acordo com a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), elaborada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) e pela Fecomércio PR (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná).

A parcela de endividados subiu de 90,6% em junho para 91,1% em julho, o maior patamar desde agosto de 2013, quando 93,5% dos paranaenses possuíam algum tipo de dívida. Essa elevação no indicador foi motivada principalmente pelas famílias de menor renda, entre as quais 90,8% estão endividadas. Nas famílias com renda acima de dez salários mínimos, o endividamento corresponde a 92,2%.

O endividamento da população no Paraná se mantém bem acima da média nacional, que bateu novo recorde e ficou em 71,4% em julho, acendendo alerta para o uso do crédito.

Apesar disso, o percentual de famílias com contas em atraso caiu de 25% em junho para 23,7% no mês passado, e aquelas que não terão condições de quitar seus débitos baixaram de 9,7% para 8,7%. A melhora nas condições de pagamento nas dívidas demonstra uma ampliação na capacidade de pagamento de todas as classes econômicas. Nesse cenário, há uma sinalização de que o crescimento do endividamento das famílias de menor renda está relacionado à retomada de seu padrão de consumo e a compras parceladas.

 

Tipo de dívida

O uso do cartão de crédito se intensificou, ao passar de 66,7% em junho para 69,5%. Observa-se que esse é um recurso para obtenção de crédito mais utilizado pelas classes A e B, com 79,2%, ante 67,4% nas classes C, D e E. Outros motivos que levam os paranaenses a se endividarem são o financiamento de veículo, com 15,0%, e o financiamento de casa, com 8,5%.

Campanha Meu Nome Limpo supera expectativas e terá segunda edição

A campanha “Meu nome limpo”, uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Cascavel a pedido do prefeito Leonaldo Paranhos, recuperou o poder de crédito de centenas de pessoas em seis dias de atendimento no Teatro Municipal Sefrin Filho, na nova sede da Amic PR e no Sindilojas.

Desenvolvida em parceria com a Acic, a Amic e o Sindilojas, a campanha estimulou as pessoas que estavam com o nome negativado a renegociar suas dívidas. Para tanto, as empresas ofereceram ao menos 50% de desconto sobre o valor dos juros. Em seis dias, foram feitos 2.578 atendimentos, incluindo as ações do Banco da Mulher, que registrou a abertura de 13 empresas no local após atender 126 pessoas.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Hivonete Piccoli, destaca que a campanha superou as expectativas com centenas de pessoas restabelecendo seus nomes que estavam negativados. “Vamos nos preparar para que, em 90 dias, estejamos novamente rodando com essa campanha, oportunizando que um úmero ainda maior de consumidores possa estar sendo atendido”.