Ainda é um mistério para a Polícia Civil o caso do corpo encontrado carbonizado na noite de sábado em Céu Azul. E o mistério começa pela identificação da vítima, que deve demorar mais de 30 dias, na previsão mais otimista, para ser revelada. Isso porque depende de um exame de DNA. Os fragmentos vão para Curitiba onde, segundo o IML (Instituto Médico Legal) de Cascavel, há uma demanda de mais de 2 mil exames desse tipo na fila de espera.

“Isso é necessário porque o corpo foi totalmente consumido pelo fogo, até mesmo os ossos”, disse o delegado Júlio César, chefe da 46ª DRP de Matelândia. Segundo ele, um rapaz que mora em Santa Tereza do Oeste relatou que seu pai está desaparecido e foi coletado material dele para fazer um comparativo.

O delegado disse ainda que levantamento de desaparecidos está sendo feito em toda a região de Céu Azul, Matelândia e Cascavel.

A vítima estava com as mãos amarradas e há indícios de que tenha sido queimada viva, mas a polícia segue averiguando as circunstâncias da morte.

O carro em que a vítima foi encontrada, um Gol 2013/2014 com placas de Cascavel, não tem registro de furto ou roubo, mas a polícia não divulgou de quem é o carro. “Não podemos revelar outros detalhes para não atrapalhar a investigação. Mas também estamos no levantamento das câmeras de segurança da rodovia, que podem ajudar a resolver o caso”, relata.

Reportagem: Tatiane Bertolino

Foto: Aílton Santos

20 –

Polícia aguardará exame de DNA para identificar corpo que foi queimado no carro