SAÚDE

Mais de 98 mil cascavelenses ainda precisam se imunizar contra a gripe

10 de maio de 2022 às 08:06
Publicidade

 

Cascavel – A Secretaria Municipal de Saúde divulgou nesta segunda-feira (9) um balanço referente a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Em Cascavel, a meta é imunizar mais de 127 mil pessoas, no entanto, somente 29.168 doses foram aplicadas até o momento, ou seja, faltam ainda um pouco mais de 98 mil pessoas serem imunizadas, o que é importante para garantir a prevenção contra a doença, especialmente com a chegada das temperaturas mais baixas.
A campanha segue até o dia 3 de junho nas unidades de saúde do município, incluído as da zona rural. A aplicação da vacina ocorre a partir das 8h até às 16h. Na primeira fase, realizada de 4 de abril a 2 de maio, os idosos e trabalhadores de saúde receberam a dose. Apesar da etapa já ter sido finalizada, eles ainda podem ser vacinados nas unidades.

Nesta fase da campanha, a vacinação é voltada para crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas, povos indígenas, professores, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, forças de segurança e salvamento e forças armadas, entre outros.
Conforme dados do PMI (Programa Municipal de Imunização), os idosos são os que mais procuraram as unidades, com 44,2% da terceira idade já vacinada em Cascavel. Em seguida, aparecem os trabalhadores da saúde, com 26,4%. Já a cobertura das crianças, dos professores e das gestantes, tem sido as mais baixas, com 12,9%, 6% e 10,1% do público imunizado, respectivamente.
O PMI recomenda que para se imunizar, as pessoas levem a carteirinha de vacinação para manter o documento atualizado. Além disso, é obrigatório o uso de máscara dentro das unidades de saúde. Outra vacina que continua em campanha juntamente com a gripe é do sarampo voltada para crianças de seis meses até cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias). Até o momento, apenas 13,35% do público alvo se imunizou.

 

Paraná atinge a marca de 1 milhão de doses aplicadas

 

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 1.067.412 pessoas já receberam o imunizante contra a Influenza desde o início da campanha de vacinação, em 4 de abril. Até agora, o governo federal enviou mais de 3 milhões de vacinas, já descentralizadas pela Sesa. A estimativa é de que 4,3 milhões de pessoas devam ser imunizadas até o fim da campanha, em 3 de junho, dentro do grupo prioritário. A meta é atingir ao menos 90% desse público.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, César Neves, mesmo com os bons números, é preciso avançar ainda mais, por isso, está sendo feito um trabalho com os municípios e reforçada a importância de expandir o número de vacinados, sobretudo daquelas pessoas que compõem os grupos prioritários. “Nossa principal aliada para combater o vírus da gripe é a vacina. Embora os números estejam mais amenos do que no começo do ano, quando havia um contexto de epidemia, a vacina segue tendo a mesma importância”, acrescentou o secretário.

A vacina atualizada contra a doença protege contra os subtipos da Influenza A (H1N1 e H3N2) e um subtipo da Influenza B. Em janeiro deste ano, o Paraná declarou epidemia de H3N2 após um aumento no número de diagnósticos e mortes em decorrência do vírus. Foram mais de 2 mil casos e 118 óbitos entre dezembro e março.

 

Cascavel

Cascavel continua sendo o terceiro município do estado que mais aplicou doses, antecedido por Curitiba (125.378) e Londrina (74.160). Em todo o estado, grupo prioritário com maior cobertura até agora é o de idosos, com 42,2% – em números absolutos, 752.506 doses. As faixas etárias com maior adesão ao imunizante têm entre 65 a 69 anos (186.498 doses), 60 a 64 anos (182.527) e 70 a 74 anos (157.720), respectivamente.

Sobre o sarampo, o secretário reforçou que no último ano, a cobertura vacinal do Paraná ficou em 82,45%. O Estado não registrou casos da doença em 2021 e 2022. Em 2019 foram registrados 1.653 casos e em 2020, 428. O imunizante tríplice viral pode ser administrado simultaneamente com a vacina da Influenza a partir dos seis meses de idade. Para os trabalhadores da saúde, pode haver coadministração das vacinas tríplice viral e da vacina contra a Covid-19.

 

 

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE