O Ministério da Economia e o INSS anunciaram nesta terça-feira (23) a prorrogação por mais dois meses da suspensão da necessidade de prova de vida para aposentados e pensionistas. “É uma medida para dar tranquilidade a todos os aposentados e pensionistas”, destacou o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco.

A suspensão da prova de vida foi anunciada em março de 2020, quando tiveram início as medidas de isolamento social para conter a disseminação do coronavírus. Desde então, ela vem sendo prorrogada a cada 60 dias.

A lei prevê que, uma vez por ano, beneficiários do INSS comprovem ao governo que estão vivos. Essa comprovação é presencial e pode ser feita no banco onde o aposentado/pensionista recebe o benefício, em uma agência do INSS, em embaixadas e consulados ou ainda na casa de aposentados e pensionistas que tenham dificuldade de locomoção.

O governo também anunciou a expansão do uso da prova de vida por biometria facial, de 500 mil pessoas no projeto-piloto para os 5,3 milhões de aposentados e pensionistas que não realizaram a prova de vida em 2020.

Segundo o presidente do INSS, Leonardo Rolim, a prova de vida digital poderá ser feita por meio do aplicativo “Meu gov.br”, sem que as pessoas precisem ir a uma agência bancária. As informações serão comparadas com as bases de dados biométricos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).