SAÚDE

Gripe: primeira fase da vacinação contra gripe inicia segunda

02 de abril de 2022 às 09:24
Paraná divulga números da gripe e reforça a prevenção. A vacinação contra a gripe terminou em 31 de maio para o público-alvo da campanha. O saldo de doses está disponível para toda a população a partir de 03/06. A secretaria estadual segue orientação do Ministério da Saúde de atingir 90% de cobertura vacinal. Curitiba, 06/06/2019 - Foto: Gilson Abreu/ANPr
Publicidade

Cascavel – As unidades de saúde de Cascavel iniciam na próxima segunda-feira (4) a aplicação das doses das Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Nesta primeira fase que ocorre até o dia 2 de maio, serão imunizados idosos e trabalhadores em saúde. As doses já foram distribuídas pela a 10ª Regional de Saúde, tanto para Cascavel, quanto para os municípios da região.

A segunda fase da campanha que ocorre de 3 de maio ao dia 3 de junho, vai imunizar crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas, povos indígenas, professores, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, forças de segurança e salvamento e forças armadas, entre outros.

A vacina é produzida pelo Instituto Butantan é eficaz contra as cepas H1N1, H3N2, incluindo o subtipo Darwin, que provocou alta de casos recentemente, e tipo B. A vacina da gripe é dose única e só recebem duas doses as crianças que serão vacinadas pela primeira vez até 2 anos de idade. Para receber a dose é preciso apresentar a carteira de vacinação e documento de identificação.

No Paraná, a estimativa do Ministério da Saúde é que 4.308.575 pessoas elencadas como grupos prioritários, deverão ser vacinadas durante a campanha da gripe. A meta é atingir pelo menos 90% deste público. A nova vacina protegerá contra os subtipos da Influenza A (H1N1 e H3N2) e um subtipo da Influenza B. O imunizante também é ofertado por instituições privadas de saúde.

 

Vacinação casada

A Secretaria Estadual de Saúde reforçou a importância de todas pessoas incluídas no público-alvo serem imunizadas, principalmente devido a chegada do inverno e que com a campanha de imunização da Covid-19 em andamento, muitas dúvidas acabam surgindo, considerando que muitas pessoas ainda estão na fila das vacinas contra a Covid-19, que já estão na quarta fase.

 

Perguntas e respostas sobre a vacinação

 

Pode tomar as vacinas para Covid-19 e Influenza no mesmo dia?

A aplicação simultânea das doses pode ser realizada em toda a população acima de 12 anos, desde que não possua sintomas gripais ou não tenha contraído Covid-19 nos últimos 30 dias. Neste caso, é necessário aguardar o fim dos sintomas, de maneira que o organismo se recupere completamente para a administração das vacinas. Essa é uma nova orientação. Em 2021, com a novidade das fórmulas contra Covid-19, era preciso aguardar 14 dias. Mas há segurança e eficácia na aplicação conjunta.

 

Crianças podem tomar vacinas contra Covid-19 e Influenza no mesmo dia?

Nesse caso, para crianças entre 5 e 11 anos, é necessário aguardar um intervalo de 15 dias entre a aplicação das doses, independente da ordem. Aquelas crianças que não receberam nenhuma vacina devem receber primeiro contra a Covid-19, e após 15 dias a da gripe. No caso da Influenza, a vacina já está disponível a partir dos 6 meses de idade.

 

Como é realizada a aplicação dos imunizantes?

Seguindo as orientações previstas no Plano Nacional de Imunizações, o processo de aplicação simultânea é feito com a administração de uma dose em cada braço.

 

Quando não devo tomar as vacinas?

As vacinas não devem ser administradas para pessoas que possuam sintomas gripais, que tenham testado positivo para Covid-19 nos últimos 30 dias ou pessoas com história de anafilaxia grave a doses anteriores, segundo o Ministério da Saúde.

 

Como saber se posso tomar a dose de reforço ou a vacina contra a Covid-19?

As vacinas contra a Covid-19 já estão disponíveis nas unidades de saúde. A orientação é fazer o reforço com Pfizer, AstraZeneca ou Janssen em todos os adultos a partir dos 18 anos. O intervalo para a aplicação adicional considera a marca do imunizante no esquema vacinal inicial. Para Coronavac, Pfizer e AstraZeneca, o reforço é quatro meses após a segunda, preferencialmente com a Pfizer e alternativamente com Janssen ou Astrazeneca. Para Janssen, o reforço é após dois meses a dose única, também com Janssen ou Pfizer (alternativa). A quarta dose vale apenas para idosos acima de 60 anos e imunossuprimidos, com intervalo de quatro meses.

 

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE