Hoje e amanhã está sendo feita a consulta pública para a implementação das escolas cívico-militares no Paraná. Ao todo, são 215 colégios pré-selecionados, dos quais 24 no oeste, em 13 cidades. Pais de alunos e professores votam para dizer se aceitam ou não a nova proposta nesses locais. O secretário de Educação, Renato Feder, explica um pouco mais como serão esses colégios.


Cívico-militares: Ratinho anuncia lista dos 215 colégios; só 24 serão no oeste

 

Curitiba – O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou nessa segunda-feira (26), no Palácio Iguaçu, os 215 colégios estaduais de 117 municípios paranaenses que terão gestão mista, cívico-militar, a partir de 2021. Dessas, 24 ficam no oeste, em 13 municípios listados. O investimento direcionado aos cerca de 129 mil alunos dessas instituições será de cerca de R$ 80 milhões. É o maior projeto do País nessa área.

“Esse programa será transformador para o Paraná. Para entregar a melhor educação do Brasil, precisamos ampliar os projetos e trazer novas ideias”, afirmou Ratinho Junior.

Ele destacou que a média das escolas cívico-militares no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) é 20% maior do que na educação tradicional. “Esse é um modelo vencedor. Se é vencedor, queremos ofertar essa modalidade. A implantação será feita de forma democrática”.

Como funcionará

A nova modalidade de ensino funcionará com gestão compartilhada entre militares e civis em escolas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. As aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis por infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Haverá um diretor-geral e um diretor auxiliar civis, além de um diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares, conforme o tamanho da escola.

Os colégios foram selecionados pela Secretaria de Educação e do Esporte e haverá uma consulta à comunidade escolar a partir desta terça-feira (27) para oficializar a indicação. Um dos diferenciais é o aumento da carga horária curricular, com aulas extras de português, matemática e valores éticos e constitucionais.

“Teremos aulas adicionais de português, matemática e civismo, para estudar leis, Constituição Federal, papel dos três Poderes, ética, respeito e cidadania. Os alunos vão estudar mais. E, no Ensino Médio, a principal mudança é a implementação da educação financeira”, afirmou o secretário estadual de Educação e do Esporte, Renato Feder. “A educação está se transformando no Paraná. É um modelo que acreditamos para o futuro”.

 Confira as cidades onde os projetos serão implementados:

  • Almirante Tamandaré
  • Ampére
  • Antonina
  • Apucarana 
  • Arapongas
  • Arapoti
  • Araucária
  • Assis Chateaubriand (2)
  • Astorga
  • Bandeirantes
  • Bela Vista do Paraíso
  • Bituruna
  • Cambará
  • Cambé
  • Campina Grande do Sul
  • Campo Largo
  • Campo Magro
  • Campo Mourão
  • Carambeí
  • Carlópolis
  • Cascavel (3)
  • Castro
  • Catanduvas (1)
  • Chopinzinho
  • Cianorte
  • Clevelândia
  • Colombo
  • Colorado
  • Cornélio Procópio
  • Coronel Vivida
  • Curitiba
  • Curiúva
  • Dois Vizinhos
  • Faxinal
  • Fazenda Rio Grande
  • Foz do Iguaçu (4)
  • Francisco Beltrão
  • Goioerê
  • Guaíra (2)
  • Guarapuava
  • Guaratuba
  • Ibaiti
  • Ibiporã
  • Imbituva
  • Inácio Martins
  • Irati
  • Ivaiporã
  • Jacarezinho
  • Jaguariaíva
  • Jandaia do Sul
  • Jataizinho
  • Lapa
  • Laranjeiras do Sul
  • Lindoeste (1)
  • Loanda
  • Londrina
  • Mallet
  • Mamborê
  • Mandaguari
  • Mandirituba
  • Marechal Cândido Rondon (2)
  • Marialva
  • Maringá
  • Matinhos
  • Medianeira (2)
  • Nova Londrina
  • Paiçandu
  • Palmas
  • Palmeira
  • Palmital
  • Palotina (1)
  • Paranaguá
  • Paranavaí
  • Pato Branco
  • Peabiru
  • Pinhais
  • Pinhão
  • Piraí do Sul
  • Piraquara
  • Pitanga
  • Ponta Grossa
  • Pontal do Paraná
  • Porto Amazonas
  • Prudentópolis
  • Quatro Barras
  • Quedas do Iguaçu
  • Quitandinha
  • Realeza
  • Rebouças
  • Reserva
  • Reserva do Iguaçu
  • Ribeirão Claro
  • Ribeirão do Pinhal
  • Rio Azul
  • Rio Branco do Sul
  • Rio Negro
  • Rolândia
  • Santa Isabel do Ivaí
  • Santa Tereza do Oeste (1)
  • Santa Terezinha de Itaipu (1)
  • Santo Antônio da Platina
  • São Jerônimo da Serra
  • São José dos Pinhais
  • São Mateus do Sul
  • São Miguel do Iguaçu (1)
  • São Sebastião da Amoreira
  • Sarandi
  • Sertanópolis
  • Siqueira Campos
  • Telêmaco Borba
  • Tibagi
  • Toledo (3)
  • Turvo
  • Ubiratã
  • Umuarama
  • União da Vitória
  • Uraí

Colégios pré-selecionados do oeste:

 Cidade       Colégios

Assis Chateaubriand      Teotônio Vilela e Guimarães Rosa

Cascavel     Santos Dumont, Brasmadeira e Olivo Fracaro

Catanduvas João F Neves

Foz do Iguaçu      Ipê Roxo, Carmelita S Dias, Costa e Silva e Tarqüínio Santos

Guaíra         Jaime Rodrigues e Jardim Zeballos

Lindoeste    Lindoeste

Marechal Cândido Rondon     Rondon e Frentino Sackser

Medianeira Naira Fellini e Tancredo Neves

Palotina      Rio Branco

Santa Tereza do Oeste    Santa Tereza do Oeste

Santa Terezinha de Itaipu        Ângelo Antonio Benedet

São Miguel do Iguaçu    Nestor V dos Santos

Toledo        Antonio J Reis, Novo Horizonte e Jardim Maracanã

Pais e educadores devem votar até quarta

As consultas públicas ocorrerão nas escolas indicadas para o programa nesta terça-feira (27) e na quarta-feira (28), das 8h às 20h. A consulta será em formato de referendo, cabendo à população dizer sim ou não ao modelo na escola em questão.

É preciso levar um documento pessoal para votar e pais ou responsáveis votam de acordo com o número de matriculados sob sua tutela na escola, ou seja, uma mãe com três filhos pode votar até três vezes.

Para ter validade, mais de 50% das pessoas aptas devem participar da consulta. O resultado das consultas deve sair até quinta-feira (24).