Janeiro é o mês da conscientização da saúde mental e a Secretaria da Segurança Pública está reforçando a prevenção por meio do Programa de Atenção Psicossocial – Prumos, dedicado para atendimento aos integrantes das instituições vinculadas à Sesp e seus dependentes.

O objetivo é intensificar a divulgação dos serviços aos profissionais. Para isso, uma equipe estadual está promovendo visitas nas seções e centros de atendimento.

“A intenção do Janeiro Branco é fazer com que as pessoas direcionem sua atenção ao cuidado da saúde mental. Ter um mês alusivo a esse assunto é importante porque, às vezes, ele passa despercebido no decorrer dos outros meses, e para que a gente pare pelo menos um momento e tenha essa reflexão de cuidar de si mesmo e ajudar quem precisa”, disse a coordenadora estadual do Prumos e chefe da Assessoria de Planejamento Estratégico e Gestão de Projetos da Sesp, Patrícia Manica.

O Prumos conta com quatro Centros de Atendimento Psicossocial (CAPs), localizados em Curitiba, Cascavel, Maringá e Londrina, além de 36 seções em unidades policiais em outros 26 municípios.

Os CAPS estão instalados em imóveis fora das sedes das polícias para que o profissional se sinta acolhido em um local separado e seja atendido com toda a descrição que o tema requer, evitando exposição.

A conscientização sobre a saúde mental ajuda no bom desempenho profissional e bom relacionamento social dos policiais. Segundo Patrícia, falar sobre saúde mental é tratar sobre qualidade de vida, principalmente nessa área, na qual estão expostos à violência em prol do bem-estar da população.

“O Prumos é oferecido de forma personalizada para os profissionais da segurança pública e seus familiares, com toda a discrição e responsabilidade que o tema envolve. As sessões são reservadas, com a análise criteriosa da saúde mental e de assistência social, com várias técnicas de conversas e atividades em grupo, buscando elevar a qualidade de vida e o convívio social do paciente com todos à sua volta”, explica.

Os profissionais podem procurar o atendimento em qualquer seção do Prumos nas unidades policiais, mediante agendamento.

“Pode ser uma consulta presencial ou, caso seja em alguma cidade onde não tenhamos sede disponível, de forma online”, explica Patrícia. “Se observou um comportamento diferente de algum colega de trabalho ou familiar e gostaria de buscar orientação, procure o Prumos, até mesmo para entender como fazer a abordagem correta dessa pessoa que eventualmente possa precisar de ajuda”.

VIDA SAUDÁVEL – Segundo o psicólogo Eduardo Carreira, coordenador do Centro de Atendimento de Curitiba, entende-se que para a pessoa estar bem do ponto de vista mental ela precisa se cuidar e observar as outras dimensões da vida, na atividade física, numa alimentação balanceada, em relacionamentos afetivos e interpessoais bem equilibrados, além de uma boa convivência familiar e profissional.

“Até mesmo a questão espiritual é importante, que entra no conceito de saúde mental contemporâneo. A dimensão da religiosidade é um aspecto importante da vida”, detalha.

O profissional de segurança pública deve procurar ajuda quando tiver problemas, principalmente nos primeiros sinais de depressão e tristeza profunda. De acordo com Carreira, existem rotinas de autocuidado no âmbito da saúde mental que as pessoas fazer sem a ajuda de um profissional.

“Cuidar da dieta alimentar, praticar pelo menos 30 minutos de exercícios físicos por dia, manter boas relações, cuidar dos afetos, das relações que estabelece com a família e com outras pessoas, dormir bem, beber água e tudo aquilo que as áreas da saúde preconizam para a qualidade de vida”, arremata.

Confira AQUI os endereços e o contato de cada unidade do Prumos.

(AEN)