Há pouco mais de um ano, o Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop), pertencente à Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), inaugurou o serviço de ressonância magnética, o primeiro em hospital público no Interior do Paraná. Desde então, já foram feitos mais de 2 mil exames. O aparelho foi instalado para otimizar e melhorar o atendimento à população, que passava meses na fila de espera por um exame.

“O objetivo é, justamente, diminuir a fila e o tempo de espera dos pacientes que necessitam desse recurso do hospital”, disse o coordenador de Centro de Imagens, Narciso Comíssio. O exame, mesmo não sendo de urgência e emergência, é essencial à saúde e tem agregado em diagnósticos feitos no hospital. “Estamos conseguindo atender o máximo da população possível e fazer com que o objetivo do setor seja alcançado aos poucos”, conta Narciso.

Quando o setor foi inaugurado, em setembro do ano passado, alguns pacientes aguardavam pelo exame ambulatorial desde 2016. Em apenas três meses o Huop conseguiu zerar essa fila de espera.

“Hoje, o tempo de espera entre o agendamento e a realização do exame é de uma a duas semanas. Além de ser mais fácil ter o equipamento aqui, o custo também é menor do que encaminhar o paciente para fazer exame em serviços terceirizados”, avalia Narciso.

A ressonância magnética atende pacientes ambulatoriais do Huop e pacientes internados na instituição, além daqueles encaminhados pela 10ª Regional de Saúde e por meio do convênio firmado com o Hospital do Câncer de Cascavel (Uopeccan), em abril deste ano.

Marli Lima é paciente da Uopeccan e foi encaminhada para fazer a ressonância no Huop. “Foi muito rápido. Dia 01 de novembro fui até o Uopeccan, já me encaminharam para o Huop e dia 8 fiz o exame”, relata Marli.

Essa parceria é fundamental para as duas instituições. “É uma parceria que permite um reconhecimento na região e faz com que o Huop contribua ainda mais com o atendimento da população”, explica Narciso.

ATENDIMENTO – A equipe da ressonância magnética do Huop é qualificada e preparada para oferecer o melhor atendimento aos pacientes. “Todos passam por treinamentos para ter familiaridade com o equipamento, assim é possível que o atendimento seja realizado com facilidade e também transmitir segurança aos pacientes”, explica o coordenador do Centro de Imagens.

Marli conta que estava bastante apreensiva antes de fazer o exame no Huop, porém chegando no hospital foi bem atendida desde o início. “Cheguei aqui com medo, ansiosa, nervosa, mas foi tudo muito bem, fui bem atendida desde a portaria até agora na observação. Estou bem mais tranquila, o atendimento é excelente”, finaliza a paciente.

(AEN)