A alta da inflação no Brasil, em um dia no qual os mercados do exterior se voltaram para o avanço dos índices inflacionários em todo o mundo, deu força para o dólar, que voltou a subir ante o real e fechou com alta de 0,69% nessa quarta, cotado a R$ 5,0692. A Bolsa brasileira (B3), porém, precificou a retomada da economia brasileira, encerrando em leve alta de 0,09% aos 129.906,80 pontos, apoiada pelo ganho das ações da Vale.

A economista-chefe do Banco Inter, Rafaela Vitória, destaca que a inflação se transformou em fenômeno mundial, em meio à retomada da atividade, como mostraram até dados da China, com a inflação ao produtor (PPI, na sigla em inglês) mostrando um salto anual de 9% em maio, o maior dos últimos 12 anos, gerando cautela nos mercados. Nos Estados Unidos, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) tem conseguido convencer os investidores do caráter transitório da inflação – no entanto, a resposta vem hoje, quando o país divulga o resultado do mês de maio.

Após ter interrompido na terça sua mais longa sequência de ganhos desde fevereiro de 2018, o Ibovespa viu no avanço do IPCA uma confirmação da recuperação da economia do País. Com isso, apesar do sinal negativo de Nova York, onde todos os índices caíram, a Bolsa conseguiu fechar perto do patamar dos 130 mil pontos. Na semana, o índice cede 0,17%, colocando os ganhos do mês a 2,92% e os do ano a 9,15%.