O cigarro é a principal causa de morte evitável no mundo e reduz, em média, 20 anos de expectativa de vida do fumante. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), além de serem considerados grupos de risco no desenvolvimento de diversas doenças, os tabagistas também são apontados como grupo de risco para o novo coronavírus, por estarem mais suscetíveis a infecções respiratórias. Pelo possível comprometimento da capacidade pulmonar esse grupo ainda possui mais chances de desenvolver sintomas graves da covid-19.

Para acompanhar esses pacientes e ajudá-los no processo de cessação do tabagismo, o HCor mantém o Programa Vida Sem Cigarro, que já atendeu mais de 1.200 pessoas desde sua implantação, e viu recentemente a procura por ajuda subir até 30%, nesses meses de pandemia e isolamento.

Durante o processo para largar a dependência, psicólogos ressaltam, a maior resistência dos “fumantes de poucos cigarros” que fumam até cinco cigarros por dia e das mulheres que costumam ter uma relação mais emocional com o vício.

Neste sábado, 29 de agosto, data em que se comemora o Dia Nacional de Combate ao Fumo, os especialistas do HCor reforçam a importância de parar de fumar em qualquer etapa da vida, e ficam à disposição para repercutir a pauta.