H) Billboard Internas (320X50)

POLICIAL

Cinco mortes e 10 tentativas: junho é mês mais violento do ano

26 de junho de 2019 às 09:54
Foto: Aílton Santos
Publicidade

Faltando quatro dias para terminar o mês, junho já registrou metade das mortes violentas dos cinco primeiros meses do ano somados. De acordo com os dados do acompanhamento diário feito pelo jornal Hoje News, de janeiro a agosto foram registrados 9 homicídios e 1 feminicídio em Cascavel, já em junho foram cinco homicídios.

O último deles foi registrado no fim da manhã de ontem e deixou os cascavelenses assustados. Filipe Raphael Ciqueira Chagas, de 31 anos, foi assassinado a tiros na Rua Pio XII, no Bairro Cancelli. De acordo com testemunhas, foram mais de 15 disparos.

Um morador da região, que preferiu não ser identificado, pede providências às autoridades. “Em plena luz do dia um crime violento desses, os tiros acertaram os estabelecimentos em volta, podia ter acertado um inocente. Não é possível viver tranquilo desse jeito, a polícia precisa prender essas pessoas” afirma.

Fontes ligadas ás autoridades policiais afirmam que a morte de Filipe tem ligação com a morte do empresário Sandro Rossi, alvejado por mais de 20 tidos em abril, no Bairro Santa Cruz e também com a tentativa de execução sofrida pelo irmão de Sandro, Robson Rossi, no dia 5 de junho no centro da cidade. Filipe havia comprado há pouco tempo uma empresa do ramo automotivo que pertencia aos irmãos Rossi.

A morte de Sandro também foi registrada neste mês. Ele morreu no HU (Hospital Universitário) de Cascavel, após quase dois meses internado. Ele acabou não resistindo após complicações causadas por uma hemorragia interna.

À luz do dia e também à noite

Outra morte violenta em plena luz do dia neste mês foi a da gestante Laís Jenifer Marcelino, de 20 anos, morta com um tiro na cabeça, na tarde do dia 19 de junho na casa onde morava, no Jardim Melissa. A primeira morte do mês foi registrada no mesmo bairro. Josemar de Paula, de 20 anos, foi morto a tiros na madrugada do dia 1º de junho. No dia 16, a jovem Mara Eliza Ribeiro, 22 anos morreu após ser baleada na cabeça no Bairro Cascavel Velho. Ela dormia quando um homem começou a atirar em uma festa. Quando levantou para ver o que acontecia foi alvejada e morreu na hora.

 

Tentativas

Ainda de acordo com os dados do acompanhamento diário do jornal Hoje News, já são nove tentativas de homicídio e uma de feminicídio. Cinco tentativas foram por arma de fogo: O primeiro deles foi o atentado a Robson Rossi, 30, no centro da cidade, no dia 5. No dia 7, Roberson Maciel, de 42 anos, foi alvejado no Bairro Floresta. No dia 8 de junho, Flávio Alves, 30, foi alvejado no Bairro Alto Alegre. Já Wellington dos Santos, também de 30 anos, foi baleado quando saía de uma festa na madrugada do dia 20 no centro da cidade, enquanto no dia 28, no Interlagos, Valderi Aparecido, de 28 anos, foi baleado dentro de casa.

Arma branca

Ferimentos por arma branca foram quatro este mês: Na segunda-feira (24) foram dois. Uma contra a jovem Carol Andrielly Santurio Silva, 20, que sofreu uma tentativa de feminicídio. Ela foi esfaqueada pelo ex-companheiro no Bairro Santa Felicidade e está em estado gravíssimo. O outro caso foi contra Leandro de Souza Machado, de 34 anos, esfaqueado após uma briga por um cobertor no Bairro Alto Alegre. No dia 23, Luciano da Mota Silva, 42 anos, ficou ferido ao ser agredido a facadas no Interlagos. No dia 19 o jovem de Fernando Gabriel Freitas, 19 anos, foi agredido à marteladas no Bairro Brasília. Outra tentativa de homicídio foi registrada ontem de manhã, contra Cledisson de Jesus, de 34 anos. Ele ficou gravemente ferido ao ser atropelado e agredido à chutes, no Bairro Brasmadeira. A delegacia de Homicídios foi consultada sobre os números, mas não houve retorno.

Reportagem: Cláudia Neis

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

I) Internas lateral Desktop (300x600) - Revisado

PUBLICIDADE

K) Rodapé Internas (728x90) Desktop