O Comitê de Crise para Supervisão e Monitoramento dos Impactos da Pandemia da Covid-19 apresentou, na tarde desta segunda-feira (12), os resultados obtidos com o planejamento das ações de enfretamento à pandemia do novo coronavírus em Cascavel. Os números mostram que Cascavel tem o menor coeficiente de mortalidade por Covid-19 entre as dez maiores cidades do Paraná, com índice de 258,4 mortes a cada 100 mil habitantes.

Desde o início das ações de enfretamento à pandemia, o prefeito Leonaldo Paranhos determinou que o pilar número seria salvar o maior número de vidas possível. Isso se reflete pelo fato de Cascavel ter o menor coeficiente de mortalidade.

O segundo pilar foi buscar ações para evitar que o sistema de saúde não entrasse em colapso. Para garantir que a estrutura atendesse o maior número de pacientes, foram abertos 112 novos leitos de UTI e 43 de enfermaria, ambos exclusivos para Covid-19.

Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) convocou 568 profissionais da saúde, entre eles médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Dessas convocações, 45 médicos, 33 enfermeiros e 87 técnicos em enfermagem compareceram para assumir a vaga.

Nesta segunda-feira (12), pela primeira vez neste ano não há pacientes na fila de espera por leito de UTI Covid-19.

Desde que iniciou a campanha de vacinação contra a Covid, em fevereiro, a imunização em Cascavel tem se tornado destaque e chega a cerca de 205 mil aplicações. Somente com a primeira dose mais de 70% da população vacinável já recebeu o imunizante.

Economia

O terceiro pilar que sustenta o enfrentamento à pandemia é não permitir que as ações acabem impactando a economia com gravidade. “Nossa prioridade sempre foi salvar vidas, mas precisávamos ter equilíbrio para impactar o mínimo possível na economia, tanto que nossos decretos sempre foram pautados no equilíbrio, com menos restrições, mas com a participação e responsabilidade social de todos”, afirma o prefeito Paranhos.

As medidas surtiram efeito e Cascavel se destacou com a geração de 5.161 empregos formais no primeiro semestre, a segunda melhor posição do Paraná e 30ª do Brasil. Além disso, as exportações de Cascavel no semestre somaram R$ 1,4 bilhão, um recorde histórico.

Nesta segunda-feira, a Prefeitura de Cascavel decidiu manter o atual decreto de restrições para garantir que não se perda tudo o que foi conquistado até agora.

“Vivemos um momento de otimismo, confiantes que estamos muito próximo do fim dessa pandemia, mas não podemos perder tudo o que fizemos até agora. Vamos continuar atentos, seguindo os cuidados necessários, mas com muita fé e esperança que ‘a volta ao normal’ está muito próxima”, diz Thiago Stenfaello, coordenador do comitê.