A eleição da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), realizada nessa sexta-feira, no Rio de Janeiro, foi mais um capítulo lamentável na história da entidade. A chapa de oposição Acelera Brasil, liderada pelo paranaense Milton Sperafico, abandonou o pleito e Giovanni Guerra, do Maranhão, foi eleito com os votos da situação.

As federações de Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Pará, que apoiavam Milton Sperafico, abandonaram a Assembleia depois de terem seus pedidos de impugnação das federações de Piauí, Alagoas, Tocantins e Maranhão recusados. Piauí, Alagoas e Tocantins por não terem três categorias e número mínimo de pilotos para terem direito a voto. Maranhão por estar com o registro de ata eleitoral atrasada.

Também foi pedida a impugnação da Associação dos Pilotos porque, como representante dos pilotos, é necessário realizar sufrágio para determinar em quem os pilotos desejariam que fosse o voto. Não há comprovação de que tenha sido feito isso e o presidente Felipe Giaffone declarou voto antecipado em Giovanni. Também questionou se o baixo número de filiados daria direito a representar pilotos de todo o Brasil.

A situação também pediu a impugnação das federações do Rio de Janeiro e do Pará porque clubes filiados a essas duas entidades não teriam apresentado declaração de imposto de renda. No entanto, a plenária entendeu que isso não era motivo para impedi-las de votarem.

Os problemas começaram quando Felippe Zeraik, diretor jurídico da CBA, impediu que o paranaense Rubens Gatti fosse o presidente da Assembleia, colocando em seu lugar Paulo Scaglione, de São Paulo, que foi votar pela Federação Paulista na condição de terceiro vice-presidente porque o presidente e o vice-presidente estão com covid-19.

Contando somente os bloco de situação, Giovanni recebeu os votos das nove federações do Nordeste (Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia), do Distrito Federal, de Tocantins, São Paulo, Santa Catarina e da Abpa (Associação Brasileira de Pilotos de Automobilismo).