POLICIAL

Ação ‘frustrada’ do crime organizado leva terror à população de Guarapuava

19 de abril de 2022 às 09:40
Publicidade

Cascavel – Um ataque a uma empresa de transporte de valores na cidade de Guarapuava, na região central do Estado, deixou os moradores aterrorizados no início desta semana. Entre o final da noite de domingo (17), e início da madrugada de ontem (18), cerca de 30 criminosos fortemente armados realizaram a ação.

Para evitar uma resposta rápida dos policiais, o grupo incendiou dois caminhões nas entradas do 16º Batalhão de Polícia Militar. Mesmo com o “bloqueio”, os policiais que estavam em ronda conseguiram reagir, buscando impedir o êxito dos marginais ação e preservar a segurança dos moradores.

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, os bandidos fugiram sem concluir o assalto, após intensa troca de tiros na região rural de Guarapuava. Dois policiais e um morador ficaram feridos no confronto. Um dos militares sofreu uma fratura na perna e o outro teve ferimentos mais graves, necessitando de internamento em UTI (Unidade de Terapia Intensiva), e o morador, felizmente, não foi ferido com gravida e passa bem.

O secretário de Estado da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, e o comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Hudson Leôncio Teixeira, foram para Guarapuava para acompanhar a situação. Em coletiva de imprensa, o secretário garantiu que os assaltantes não conseguiram chegar ao cofre da empresa e fugiram sem levar nada. “A situação já é de normalidade porque a operação (da Segurança Pública) logrou êxito. Os meliantes fugiram sem concluir o assalto graças à pronta resposta da nossa polícia”, afirmou.

Marinho explicou que a Polícia Militar já contava com um plano para ser usado em situações de risco. A estratégia, conforme o secretário, consistiu em fechar as entradas do município, obrigando os criminosos a seguir para o perímetro rural. A ação fez com que os assaltantes, sem conhecimento das vias, se perdessem e abandonassem o local. “Tiramos eles do centro da cidade para proteger a população, já que a área em que a empresa está localizada é residencial”, explicou.

O coronel Teixeira disse que os bandidos tentaram desviar o foco dos policias com informações de assalto a bancos e a existência de reféns, além de fechar a entrada e saída do batalhão da PM. Entretanto, mesmo com o bloqueio o grupo criminoso foi surpreendido. “Eles não contavam que nossos policiais estavam na rua, em rondas frequentes. Nossas equipes logo foram acionadas, chegaram os reforços e já impedimos a ação. Levamos o confronto para o perímetro rural para garantir a segurança da sociedade, obrigando-os a fugir sem sacramentar o assalto”, reforçou.

A Polícia Militar informou que os bandidos estavam equipados com mochilas de mantimento, com kits de primeiro socorro, além de capacetes balísticos, e também que há relatos de que alguns dos assaltantes ficaram feridos.

 

SUSPEITO PRESO

As investigações ao longo da segunda-feira acabaram com a primeira prisão de um suspeito. O homem detido é da própria cidade e, segundo a investigação, está ligado à parte logística de fornecimento de armas à quadrilha, formada por cerca de 30 criminosos.  Além disso, a Secretaria confirmou que doze veículos usados pelos bandidos já foram localizados (quatro deles queimados e usados como barreiras pelos criminosos), além de nove armas (entre .50 BMG, 7,62, 5,56 e calibre 12 Combat); uma pistola Glock 9 mm com seletor de rajada; um carregador de AK 47; munições; capacetes e coletes balísticos; balaclavas, facas, celulares e lanternas; um par de placas de veículo sobressalente (EPS7D07); e R$ 1,4 mil em espécie.

Três helicópteros do Estado também estão dando suporte à operação, assim como equipes com cães. “Vamos seguir aqui até que o caso seja solucionado, garantindo tranquilidade à população de Guarapuava”, afirmou o comandante-geral da PR.

 

NOVO ALERTA

A situação registrada em Guarapuava disparou novo alerta nas forças de segurança pública, principalmente porque os criminosos portavam fuzis, ou seja, armamento historicamente utilizado em guerras. Há cinco meses, no dia 4 de novembro de 2021, uma tentativa de assalto a agências bancárias com modo operacional semelhante ao caso de Guarapuava foi registrada em Três Barras do Paraná.

Na ocasião, o serviço de inteligência da Polícia Militar antecipou a ação dos criminosos, com militares posicionados em pontos estratégicos no entorno das agências. No momento da tentativa, os assaltantes reagiram à abordagem policial e foram baleados. Cinco deles morreram durante a troca de tiros e um sexto criminoso faleceu no hospital, poucas horas depois. Na ação foram apreendidas sete armas de grosso calibre, incluindo três fuzis.

Foto: Luiz Felipe/Portal SOT

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE