Os acadêmicos dos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção do Centro Universitário de Cascavel – Univel desenvolveram projetos e programas com o objetivo de resolver problemas do cotidiano, durante a disciplina de Modelagem e Prototipagem. A disciplina tem como objetivo a inserção dos alunos tanto na programação quanto na eletrônica.

O campo da eletrônica abrange muitos processos, desde os circuitos internos de alguns equipamentos até os grandes e complexos. O ensino de programação e a eletrônica é importante porque estimula a criatividade, a autonomia, desenvolve o raciocínio lógico e a capacidade de resolução de problemas, além de estimular o trabalho em equipe, habilidades muito valorizadas na atualidade. O objetivo da atividade, além de desenvolver projetos e programas, foi também desenvolver o espírito empreendedor do aluno e aguçar a curiosidade sobre o mundo da eletrônica e da programação.

De acordo com o professor dos cursos de engenharias da Univel, Edward Junior Galinha, aprender a programar e projetar é ter nas mãos o “poder” de melhorar ou facilitar a vida das pessoas, por meio da criação de softwares e aplicativos que possam resolver problemas reais da sociedade e tornar o mundo um lugar melhor para se viver. “Os alunos, após terem a introdução de eletrônica básica e arduino, são estimulados a criarem individual ou em equipes uma empresa e desenvolver um projeto que resolva um problema que os mesmos vivenciem, aplicando todo o conhecimento obtido durante as disciplinas. Os trabalhos são muito satisfatórios, pois, os alunos não são avaliados apenas na apresentação final e sim durante o processo, onde acontece a construção e busca do conhecimento”, ressalta Edward.

Para o acadêmico do 1º semestre do curso de Engenharia da Produção da Univel, Francisco dos Santos Porfírio, a disciplina foi uma oportunidade para ter um primeiro contato com a eletrônica, programação e desenvolver um projeto. “Foi muito gratificante fazer essa disciplina, porque eu nunca tive contato com programação e eletrônica, foi totalmente novo para mim e considero de grande importância, nós, como futuros engenheiros de produção, termos entendimento de como funciona essas técnicas dentro de uma indústria. Foi desafiador, mas o professor nos deixou escolher o projeto, como apresentar e também nos orientou e sanou nossas dúvidas. Foi motivador e satisfatório concluir um projeto. O meu projeto tinha como objetivo fazer com que uma porta abrisse através da leitura digital, por meio de biometria, então fizemos um cofre e a peça poderia armazenar com até 120 digitais”, conta Francisco.