Toledo amplia atendimento de programas sociais

Os adolescentes atendidos pelos programas Projovem Adolescente e Florir Toledo receberão bolsa-auxílio

O prefeito de Toledo, Lucio de Marchi, sancionou na semana passada duas leis que alteram a legislação que autoriza o Executivo Municipal a pagar a bolsa-auxílio dos programas Projovem Adolescente (Lei “R” [Ordinária] 21/2020) e Florir Toledo (Lei “R” 22/2020).

Quando usar máscara de pano

Os dois programas integram os Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), da Secretaria de Assistência Social e Proteção à Família (SMAS), e atuam de forma complementar, oferecendo a adolescentes em situação de vulnerabilidade  atividades voltadas à convivência comunitária, cidadania, educação para o trabalho, saúde, esporte e cultura, pautadas na afirmação dos direitos e no desenvolvimento de capacidades e potencialidades, com vistas à superação da situação de vulnerabilidade social.

Projeto executado pelos Centro de Referência de Assistência Social (Cras) com atividades voltadas à preparação ao mercado de trabalho, o Projovem Adolescente é regulamentado pela Lei “R” 4, de 20 de janeiro de 2017, a qual passa a vigorar com uma nova redação. O Art. 2º (que trata dos objetivos gerais) ganha mais um parágrafo, o §1º do Art. 3º amplia de 200 para 330 o limite de bolsas-auxílio (atualmente no valor de R$ 130,00) disponibilizadas pelo programa ao passo que os Arts. 4º e 5º estabelecem, respectivamente, novos critérios para o recebimento e amplia o rol de situações em que o benefício será interrompido.

Também de caráter profissionalizante, mas com uma abordagem de preservação ambiental, o Florir Toledo é um projeto idealizado pelo governo municipal e ofertado no “Espaço Vida” no qual os 60 participantes recebem bolsa-auxílio de R$ 130,00. A Lei “R” 3, de 20 de janeiro de 2017, ganha nova redação em três artigos: o 2º, acrescentando três parágrafos aos objetivos gerais do programa; o 4º, estabelecendo os critérios de concessão das bolsas-auxílio; e o 5º trata das situações em que o benefício será interrompido.

De acordo com a secretária municipal de Assistência Social e Proteção à Família, Marisa Ramos dos Santos Cardoso, o aumento na concessão de bolsas-auxílio permitirá a abertura de mais cinco turmas: uma no Cras I (Vila Pioneiro), duas no Cras II (Jardim Europa/América) e duas no Cras V, tendo como local o Centro da Juventude daquele território.  “A bolsa-auxílio é paga com recursos municipais e é um incremento importante para zerar uma demanda reprimida no atendimento do público adolescente, distribuída pelos territórios dos nossos Cras, atendendo uma necessidade que agora conseguiremos suprir”, avalia.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

dois × cinco =