Repasse ao Fundo de Meio Ambiente foi de R$ 11 mi, diz Sanepar ao MP

O dossiê entregue à Promotoria levanta suspeitas sobre o contrato firmado entre a Prefeitura de Cascavel e a Sanepar e a omissão do Comam (Conselho Municipal de Meio Ambiente) em fiscalizar os recursos

Reportagem: Josimar Bagatoli

Cascavel – O Fundo Municipal do Meio Ambiente de Cascavel recebeu em 14 anos de contrato com a Sanepar R$ 11.013.805,18, que teria sido depositado em uma conta do Banco do Brasil. O valor foi informado em resposta a inquérito civil aberto pelo MP (Ministério Público) por meio de denúncia feita pelo vereador Celso Dal Molin (PL).

Por mês, a empresa é obrigada a repassar 1% do lucro ao Fundo. “A prefeitura terá que responder onde gastou esse dinheiro… onde as gestões passadas investiram esse montante, já que não há notas”, questiona Dal Molin.

Em resposta ao promotor Sérgio Machado, a Sanepar diz que o contrato é cumprido de maneira rigorosa.

Sobre a aplicação dos recursos em preservação ambiental, a Sanepar diz que “é de responsabilidade do Município”, bem como as fontes que estão ativas, onde “a fiscalização e o monitoramento competem ao Município”. A Sanepar também alegou que compete ao Município a recuperação do Rio Cascavel e das nascentes. Assinam o documento a gerente regional da Sanepar, Rita Camana, o gerente-geral sudoeste, Renato Bueno, e o diretor de operações, Paulo Dedavid.

O dossiê entregue à Promotoria levanta suspeitas sobre o contrato firmado entre a Prefeitura de Cascavel e a Sanepar e a omissão do Comam (Conselho Municipal de Meio Ambiente) em fiscalizar os recursos. O caso tramita nas Promotorias do Patrimônio Público e do Meio Ambiente.

 

 


Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação